Usina de Letras
Usina de Letras
54 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 60230 )

Cartas ( 21285)

Contos (13379)

Cordel (10346)

Cronicas (22252)

Discursos (3185)

Ensaios - (9657)

Erótico (13515)

Frases (47964)

Humor (19472)

Infantil (4770)

Infanto Juvenil (4108)

Letras de Música (5497)

Peça de Teatro (1344)

Poesias (139137)

Redação (3095)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2436)

Textos Jurídicos (1949)

Textos Religiosos/Sermões (5760)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Roteiro_de_Filme_ou_Novela-->Luta do amor contra o ciúme (o grande amor do Poeta) -- 10/07/2005 - 05:52 (CARLOS CUNHA / o poeta sem limites) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos










Luta do amor contra o ciúme

(Luiza Fernanda, o grande amor do Poeta)

Capítulo I





Era um domingo de sol e no fim da tarde o Poeta estava sentado num banco da praça lendo um livro, sem dar conta do movimento e da intensidade de vida nas pessoas que haviam por ali. Perto dele tinha vários meninos com um aparelho de som ligado e enquanto dançavam o rip rop que era tocado no chão da praça, brincavam com seus skates ou conversavam sentados nos encostos do banco que estavam em volta ou ainda estendidos sobre a grama. Crianças assediavam a barraca de algodão doce, o carrinho de pipocas e corriam por ali, enquanto as mamães fofocavam enquanto olhavam elas.
O Poeta não percebia nada disso, por estar concentrado no livro que lia – O MUNDO DE SOFIA de Jostein Garrder – e vivendo naquele momento as fantasias filosóficas da menininha que era a personagem central dele. Foi nessa hora que um dos garotos falou em voz alta e chamou sua atenção:

- Olha a Fê ai, galera!

O Poeta olhou para ver quem era e seu coração nessa hora disparou. Viu uma morena linda com os cabelos compridos e encaracolados, presos com uma fita amarela, que se dirigia em direção aos garotos. Chegando lá foi festejada, beijou e foi beijada por cada um deles no rosto. Todos mostraram alegria pela presença dela e ela deixava ver o quanto estava feliz ali entre eles. Ficou um tempão participando das atividades e conversando com eles e quando se despediu foi um coro de lamentos e nova troca de demonstração de carinho da parte de todos.
O livro estava largado aberto sobre o assento do banco do jardim e o Poeta olhava o caminhar da garota que se afastava, encantado. Não sabia ainda, mas fora atingido por um vírus muito forte e uma doença benigna o havia contaminado, quando seu olhar encontrou aquela menina... Estava amando!
Tudo ficou confuso na cabeça do Poeta e ele nada entendia, quando perdeu a menina de vista. Tentou voltar a se concentrar em sua leitura, mas no lugar das letras via com clareza os detalhes da face da menina, que fora embora á pouco. As expressões de meiguice, candura e pureza que vira nela não lhe saiam do pensamento e eram estampadas nas páginas que tentava ler. O brilho da cor negra dos olhos dela, que tinha ofuscado seus pensamentos assim que o vira e marcado a sua alma, faziam as letras em sua frente brilharem e se transformarem numa visão ilusória e irreal. Acabou indo para casa sem saber o que acontecia consigo naquele dia!


* * *


Sábado logo de manhã, o dia nem havia clareado ainda, e dona Anita já tinha passado o café – num coador feito de pano porque dava mais sabor a ele – quando a Fê apareceu com o cabelo todo espalhado, a cara sonada e os olhos cheios de remela, do sono gostoso que havia tido naquela noite. Olhou para a mãe e falou:

- Oi mãe, já acordada?

- Bom dia filha, a vida recomeça a cada dia e quanto mais cedo acordamos mais nós vivemos. E tua irmã? Ainda ta dormindo?

- Ta sim mãe, a senhora sabe o quanto ela é dorminhoca.

- Que horas ela chegou ontem?

- Sei não... Já tava dormindo e não vi.

- Ta... Vamos tomar um café e ir pra feira, que temos muito o a fazer. Deixa a Leila dormir mais um pouco que ela aparece lá quando tiver movimento na barraca... É sempre assim!


* * *


Mal escureceu e ela saiu de casa. Na esquina, dentro de um velho fusca, três rapazes e uma outra garota a esperavam. A Leila entrou nele, beijou a todos e saíram dali. A noite para eles foi comprida e curta, ao mesmo tempo. Pegou a bagana que eles fumavam, logo que entrou no carro, e a fumou. Visitaram vários barzinhos, através da madrugada, e fizeram sexo só por fazer, só pra regalar a carne. Antes que o dia amanhecesse, eles a deixaram no mesmo lugar onde a pegaram e ela foi dormir...

* * *

- Batatas de várias qualidades. Especiais pro nhoque do domingo, pro purê suculento e pra fatiar e fazer as fritas. Tem tomate de primeira pra salada freguês. Molho sem pimentão fica sem gosto, vamos levar...

Era uma linda moreninha que apregoava os produtos da barraca de feira em que trabalhava e chamava a atenção de todos.

- Tem jiló, rabanete e açaí, lá do norte, pra fazer o suco geladinho do almoço. Vamos levar...

* * *

- Oi maninha...

A irmã surgiu do nada e falou com ela que á essa hora já estava cansada, pois tinha ajudado a mãe a armar a barraca, arrumar os legumes nas bancas e atendido um monte de fregueses que apareciam para levar o melhor e mais fresco.

- Olá Leila. Ainda bem que você chegou...





Uma linda estória de amor, onde o "sentimento maior" luta contra o ciúme - como diz o título - e o vencedor será o mais forte. Essa estória terá vida, sentimentos contrários e muito erotismo. Não deixem de ler os próximos capítulos, publicados em páginas eróticas por causa do pesado conteúdo em seus relatos e das verdades cruas da vida que contém.
OBS: Leitura imprópria para menores e pessoas que desaprovam e não conseguem ter uma vida verdadeira e feliz, por serem cheias de preconceitos.



CARLOS CUNHA
O Poeta sem limites




Capítulo I – Luiza Fernanda, o grande amor do Poeta - Capítulo II – Suruba no fusca - Capítulo III – Flagrante policial - Capítulo IV – Vou cheirar, mas só hoje - Capítulo V – Orgia de mulheres - Capítulo VI “Farinha” gostosa








Mais textos e contos eróticos do autor

Pra Carminha “uma pica” é só diversão

A certinha e a menina que brinca de amor

As baladas as vezes não fazem falta

Um sonho de empregada

Flagrante de adultério

Ele bateu uma punheta e foi dormir

O grande amor da Camilinha

O peso de um cabaço

Mulher & Mulher, é simplesmente maravilhoso

Faz o que quiser comigo que afinal é nossa foda de Natal

Instinto de mãe e de mulher

Bundas que abundam minhas fantasias

Lamber, chupar, morder bem devagar...

Uma gordinha safada

Estrupo na cadeia feminina

A mãe “entendida” de uma aluna do COLÉGIO DE MOÇAS

As gêmeas e o namorado da prima

Adultério

Sexo sob o chuveiro

E assim todo mundo goza

Papai e o “viadinho”

A menina dormiu nua e toda melada

Suruba na despedida pras férias

Brincadeira entre meninas

Ser enrabada é a coisa mais deliciosa desta vida

Transa Lésbica

Uma mulata de “grelo” enorme no COLÉGIO DE MOÇAS

O Turco Nagib

Suruba na cachoeira de Guararema

Dorotheia “Banda Larga”

Gangs de sexo no COLÉGIO DE MOÇAS

Troca de casais

Irmã Clarissa e o jovem padre



(clique no título para ler o texto)






O Harém do Poeta




As mulheres mais lindas e gostosas encontradas na NET. Agora, além da publicação periódica de novas fotos, tem a de um maravilhoso vídeo erótico semanal.







As páginas mais coloridas, interessantes, cheias de conteúdo e também as mais acessadas da USINADELETRAS, com uma média de 15.000 visitas diárias e um total de mais de 9.400.000. Nelas você encontra poesias suaves, dedicadas aos amantes ingênuos, e outras muitas, muito pesadas, para aqueles que se entregam ao amor sem restrições e que fazem do delírio da carne sua religião. Há nelas contos interessantes, sobre vários assuntos, que prendem a atenção do leitor e também muitos que contam histórias eróticas que os excitam e que os fazem masturbarem-se ao lê-los, infantis deliciosos que agradam as mamães e que deliciam as crianças, humor fino de alegria delirante com muito visual engraçado e muito mais. Há nelas também letras de músicas com midi-voice, infanto-juvenis alegres e educativos, crônicas e artigos interessantíssimos, frases muito profundas, além de textos religiosos que enaltecem a pureza da alma. Em eróticos tem textos delirantes, contos quentíssimos, novamente muita poesia, além das fotos de belas e deliciosas mulheres (que também são encontradas aos milhares nos ensaios) e vídeos de primeira qualidade – tudo livre de vírus.




Comentarios
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui