Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
62 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57105 )
Cartas ( 21170)
Contos (12601)
Cordel (10092)
Crônicas (22212)
Discursos (3137)
Ensaios - (9015)
Erótico (13403)
Frases (43753)
Humor (18484)
Infantil (3792)
Infanto Juvenil (2716)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138313)
Redação (2926)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4889)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->PARA QUANDO COLHERES UMA ROSA -- 15/10/2005 - 11:52 (Edmar Guedes Corrêa****) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
PARA QUANDO COLHERES UMA ROSA


Nesse imenso jardim chamado mundo a todo instante nasce uma rosa. Uma rosa igual a todas as outras sem tirar nem pôr. Mas alguma coisa, que não sabemos explicar, atrai nosso olhar para uma delas. E então com olhos perscrutadores prestamos tão somente atenção naquela única rosa, esquecendo-se de todas as outras, como se naquele imenso jardim tivesse só ela.

E assim, quanto mais a olhamos, mais prestamos atenção a ela, mais ela nos cativa, mais sentimos a necessidade de tê-la por perto, mais queremos estar ali no meio daquele jardim, só para contemplá-la, para descobrir o que faz dela uma rosa tão especial assim. E ao fazer isso, descobrimos que mais e mais espaço em nossos pensamentos, no nosso coração essa rosa ocupa. De forma que não queremos mais viver sem ela, não queremos mais que ela seja só uma vaga lembrança em nossa vida.

Então não sabemos o que fazer. Não podemos simplesmente apanhá-la e levá-la para nossa casa. Ela não é nossa propriedade. Não fomos nós quem a plantamos. Alguém planou a semente que deu origem àquela rosa; alguém a colocou numa redoma de vidro, cuidou dela, regou-a todas as manhãs, protegeu-a do excesso de sol e chuva, afastou todos predadores e todos aqueles que lhe poderia causar algum mal; alguém fez o impossível para que ela crescesse saudável e finalmente se desabrochasse. Por isso, ao querermos tomar posse de uma rosa, temos que ter responsabilidades, ter ciência de quanto de amor e carinho está em cada detalhe de cada pétala daquela rosa.

Para alguns, uma rosa é simplesmente uma rosa. Ele a colhe, leva-a para sua casa e até chega a cuidar dela nos primeiros momentos, mas depois a coloca em algum canto da casa e se esquece dela, até que ela murcha e morre de desgosto. Para outros porém, essa rosa será sempre uma rosa especial. Ele sabe da responsabilidade que é colhê-la e levá-la para sua casa. Ele sabe que terá que regá-la constantemente, que terá que reservar uma parte do seu precioso tempo para lhe dar atenção. Ele sabe que muitas vezes terá que deixar de fazer algo que sempre fez para poder cuidar de sua rosa. Mas isso não lhe será nenhum sacrifício, pois aquela rosa é mais importante que sua liberdade de fazer o que bem quer.

O amor é assim: é estar disposto a qualquer sacrifício para cuidar de uma rosa. E só quem verdadeiramente ama sabe que às vezes o tempo muda e isso afeta sua rosa. Então ele deve estar preparado para ficar angustiado, impaciente e até mesmo sofrer por causa dela. Mas aí então o tempo melhora e sua rosa desabrocha novamente com toda a intensidade, como se quisesse compensar aquele momento ruim. E assim esquecemos o que aconteceu e temos a sensação de que esses momentos ruins são apenas uma forma de fazer os momentos bons valerem mais ainda a pena.





LEIA OUTROS ARTIGOS DO MESMO AUTOR:

O BRASIL ESTÁ MUDANDO?

A DEBANDADA DA USINA

NÃO VOU FICAR CALADO

OS 300 PICARETAS

O FIM DO GOVERNO LULA

USINA DE QUÊ?

PROPOSTAS PARA O FIM DA CORRUPÇÃO

LITERATURA E PORNOGRAFIA

E AGORA PT?

O GOVERNO LULA E A REVOLUÇÃO FRANCESA

A USNA DE LETRAS E A CORRUPÇÃO

EU QUERO O MEU PT DE VOLTA

A MULHER TRAÍDA

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui