Usina de Letras
Usina de Letras
18 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61962 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22531)

Discursos (3236)

Ensaios - (10264)

Erótico (13560)

Frases (50375)

Humor (19998)

Infantil (5391)

Infanto Juvenil (4725)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140716)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6141)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Erotico-->A VAGA -- 07/08/2003 - 21:42 (Antonio Perdizes) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
A VAGA

Surgiu assim de repente na minha frente, saída de um prédio, caminhando apressada pela calçada com seu sapato de salto alto fazendo um toc... toc... instável e ligeiro.
O corpo violão rebolava uma bunda redondinha que dava uma tremida ritmada pelas passadas firmes e rápidas.
Fixei meu olhar no conjunto. Eu quero, é isso que estou precisando.
Pernas morenas, canelas finas, coxas rígidas cobertas com uma saia semicurta. Ancas largas de mulher poderosa que, balançando cadenciadamente, faziam o espetáculo.
Hummm.. eu quero e como quero.
Seu perfume entope minhas narinas, vai penetrando no meu corpo, sinto o despertar do desejo e flutuo tal qual aquele personagem do desenho animado, seguindo o rastro do perfume pelo ar.
Estou doidão. É o máximo.
Sigo suas passadas tal qual um cachorrinho segue a dona. Se alguém olhasse a cena veria a cordinha com a coleira no meu pescoço, e o olhar de cão obediente, babando sem parar.
Ela dá uma viradinha para atravessar a rua e vejo o seu rosto tão distorcido como o de uma pintura de Picasso, boca torta e fora de lugar, olhar desviado, rosto anguloso e deformado. Com o desejo acelerado todas as formas são belas.
Continuo querendo.
Imagino a cena: ela nuazinha numa cama afofada, e eu dando, antes do encaixe, aquela olhada avaliadora no corpo que me espera.
Ahh... Eu quero demais.
Ela sente minha presença. Sinto uma breve inquietação em seus passos. Não consigo disfarçar a perseguição. Uma radiação se forma entre nós, preciso falar com ela, dizer qualquer coisa.

Cachorra, bandida, sua puta, entrando neste carrão importado parado na esquina a duas quadras da sua casa. Então é isso.... amante... motel... as nove horas da manhã e eu, já imaginando você sendo minha.
Ela entra e, com um lance, mostra suas pernas. Olha para mim com um olhar provocador, malicioso. Estremeço e por um breve instante a imagino fazendo um sinal para acompanhá-la. Sei que ela é mulher para muito mais do que isso, mas a três não vai dar. É demais para a minha cabeça provinciana.
Acordo do transe com a batida da porta do carro. Fico desolado.
Continuo querendo.
Será que ela tem vaga para mais um?

Baseado em fatos reais.

Antonio Perdizes

Leia:
Teresa a Ninfo do Sexo Virtual









Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui