Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
51 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59013 )

Cartas ( 21233)

Contos (13072)

Cordel (10287)

Crônicas (22188)

Discursos (3163)

Ensaios - (9398)

Erótico (13482)

Frases (46351)

Humor (19239)

Infantil (4419)

Infanto Juvenil (3662)

Letras de Música (5476)

Peça de Teatro (1335)

Poesias (138121)

Redação (3046)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2425)

Textos Jurídicos (1943)

Textos Religiosos/Sermões (5487)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->A FORÇA DO MOTE -- 04/04/2007 - 08:16 (Andarilho) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Número do Registro de Direito Autoral:131197871359592600


A FORÇA DO MOTE
Silva Filho


Já fiquei sem expressão
Com minha verve aos trancos
Ou aos trancos e barrancos
Perdida sem um refrão.
Sem qualquer inspiração
Sofrendo com um boicote
O vazio deu um bote
Faltou mão pra escrever
Quem não sabe, vai saber
Que não há verve sem mote.

Quando falta um bom tema
Não tem musa que dê jeito
Vem um apertão no peito
Com sintoma de edema.
Não se tem estratagema
Nem a sorte com mascote
Um cansaço no cangote
Faz a verve se esconder
Quem não sabe, vai saber
Que não há verve sem mote.

Há quem pense no sertão
Há quem fale em mulher
Mas o som que você quer
Não faz a composição.
Nem fazendo um serão
Nem abrindo seu malote
Pra rever o seu pacote
Com um trevo bem-querer
Quem não sabe, vai saber
Que não há verve sem mote.

No seu bolso não há carta
Nem coelho na cartola
Se forçar demais esfola
E o estro se aparta.
Quando a mente está farta
De fazer versos em lote
Nem o fogo do archote
Vai fazer desempecer
Quem não sabe, vai saber
Que não há verve sem mote.

Sendo assim sem solução
Não há que ficar teimando
Você vai se acostumando
Com estranha sensação.
Mas se quer a combustão
Num estalo, num pinote
Pegue a bola no rebote
Quando alguém quer evolver
Quem não sabe, vai saber
Que não há verve sem mote.


/aasf/


Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 625 vezesFale com o autor