Usina de Letras
Usina de Letras
98 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62140 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10447)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10334)

Erótico (13566)

Frases (50548)

Humor (20019)

Infantil (5415)

Infanto Juvenil (4749)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140778)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6172)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->BRENINHO -- 31/01/2000 - 20:31 (antonio temoteo dos anjos sobrinho) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
BRENINHO





Em caminhos delicados,


bem cuidados


passou Breno num vaivém.;


divagou pela oficina,


da medicina e


chegou bem.





Pequenino tripulante,


elegante,


num charutinho enrolado.


Tem cheirinho de lavanda


doce e branda


colhida aqui no cerrado.





Ressona nos devaneios,


suga os seios,


- para - retorna a sugar.


Acorda suga o leitinho,


faz beicinho,


birrento põe-se a chorar.





Vezes, tantas vezes dorme,


no conforme,


e não para de dormir,


que até o anjinho da guarda


tira a farda,


recosta p’ra lhe assistir.





É quando chego de olheiro,


sorrateiro,


vejo as avós na disputa,


todas as tias frementes,


eloquentes,


muita fala e pouca escuta.





Então me ponho mais perto a


descoberto,


o nenzinho bocejou.


Mamãe o põe no meu braço


para o abraço


que o neném sequer notou.





Depois o leva p’ra o banho,


veja o assanho


dele na água costumeira,


traz da alegria o semblante


palpitante,


sentadinho na banheira.


Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui