Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
113 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59051 )

Cartas ( 21235)

Contos (13079)

Cordel (10287)

Crônicas (22189)

Discursos (3163)

Ensaios - (9406)

Erótico (13483)

Frases (46405)

Humor (19251)

Infantil (4424)

Infanto Juvenil (3679)

Letras de Música (5476)

Peça de Teatro (1336)

Poesias (138156)

Redação (3049)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5502)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->SOU APENAS UM PALHAÇO -- 15/03/2007 - 18:34 (Andarilho) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Número do Registro de Direito Autoral:131151909023665200

SOU APENAS UM PALHAÇO
Silva Filho


Sou apenas um escravo do dinheiro
De um tal capitalismo sem limite
A fortuna se entrosa com elite
E o resto que se dane em bueiro;
A benesse fica com o caloteiro
E o honesto tem apenas dissabor
Crediário atraente – sim senhor
Pra manter o povão empobrecido
SOU APENAS UM PALHAÇO CONVENCIDO
DO DESPREZO QUE TEM O CONSUMIDOR.


Minha luz bem parece candeeiro
Oscilando em potente ventania
Minha água nunca perde a mania
De sumir da torneira e chuveiro;
Telefone surdo-mudo – companheiro
E a conta vai crescendo com a dor
Tudo atrasa pra quem é trabalhador
Com salário fortemente corroído
SOU APENAS UM PALHAÇO CONVENCIDO
DO DESPREZO QUE TEM O CONSUMIDOR.


O serviço essencial sempre precário
É prestado pelas concessionárias
Ou que sejam mesmo permissionárias
Pois o nome não melhora o fadário;
Brasileiro tem a pecha de otário
Porque nunca aprendeu a se impor
Faz questão de negar o seu valor
Faz questão de passar-se por vencido
SOU APENAS UM PALHAÇO CONVENCIDO
DO DESPREZO QUE TEM O CONSUMIDOR.


Inda tem uma tal de banda larga
Que me presta uma banda do serviço
Quem devia atender leva sumiço
E a conta todo mês só me amarga;
Minha sina é ser um burro de carga
Dum tropeiro que se chama impostor
Empresário tem um plano-diretor
Pra político se sentir comprometido
SOU APENAS UM PALHAÇO CONVENCIDO
DO DESPREZO QUE TEM O CONSUMIDOR.


O engodo com o zero-oitocentos
Bem define essa falta de vergonha
Usuário com a cara de pamonha
Só com raiva gasta mais de novecentos;
Atendentes são robôs sem argumentos
“Vou passar para nosso Ouvidor
Que transfere para um Supervisor
E depois para quem é entendido”
SOU APENAS UM PALHAÇO CONVENCIDO
DO DESPREZO QUE TEM O CONSUMIDOR.


Quando ouço esse tipo de mensagem
Algo diz que a fala me insulta
Então digo: Olha aqui Filho-da-Puta
Pro inferno com a tua sacanagem;
O governo se perdeu na vadiagem
E o serviço só encontra mau gestor
Concessão, Permissão – seja o que for
É um golpe duramente repetido
SOU APENAS UM PALHAÇO CONVENCIDO
DO DESPREZO QUE TEM O CONSUMIDOR.


Não se tem reação pelo Congresso
Não se tem reação pelo Governo
O conjunto é somente desgoverno
E o povo cada dia mais defesso;
Ao falar do assunto me estresso
E pergunto pra que serve Ouvidor
Sendo surdo, cego, mudo – que horror!
Diz que tem um valor reconhecido
SOU APENAS UM PALHAÇO CONVENCIDO
DO DESPREZO QUE TEM O CONSUMIDOR.


Não se tem um e-mail para contato
Pois assim ficaria um registro
Neste caso, resultado mui sinistro
Pra quem usa de má-fé em cada ato;
É melhor que o povo pague o pato
Sem saber quem é mesmo opressor
Sem a ficha desse tal enganador
Que não quer ter um lucro reduzido
SOU APENAS UM PALHAÇO CONVENCIDO
DO DESPREZO QUE TEM O CONSUMIDOR.


Uma lei engendrada por ‘artistas’
Sinaliza com perfeita proteção
Prometendo total descomplicação
Pra vencer os eternos vigaristas;
Os Procons ficam como plantonistas
Esperando por quem seja delator
Mas empresas estatais têm defensor
Que não deixa o patrão ser compelido
SOU APENAS UM PALHAÇO CONVENCIDO
DO DESPREZO QUE TEM O CONSUMIDOR.


Neste jogo que fascina a platéia
O juiz nunca faz intervenção
Vale mesmo blefe ou embromação
Que provoca prolongada apnéia;
Não se tem alternativa, nem idéia
Nem Ministro, Deputado ou Senador
Pra mudar esse estado de torpor
Pra deixar o Brasil engrandecido
SOU APENAS UM PALHAÇO CONVENCIDO
DO DESPREZO QUE TEM O CONSUMIDOR.


/aasf/
MOTE E GLOSA: Silva Filho


Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 655 vezesFale com o autor