Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
178 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58444 )
Cartas ( 21217)
Contos (12940)
Cordel (10248)
Crônicas (22144)
Discursos (3154)
Ensaios - (9303)
Erótico (13459)
Frases (45636)
Humor (19032)
Infantil (4261)
Infanto Juvenil (3391)
Letras de Música (5457)
Peça de Teatro (1331)
Poesias (137836)
Redação (3023)
Roteiro de Filme ou Novela (1059)
Teses / Monologos (2418)
Textos Jurídicos (1938)
Textos Religiosos/Sermões (5334)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->Corrupção em Portugal -- 02/03/2007 - 08:47 (TERTÚLIA JN) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.

ENUNCIADO

Satisfazendo encomenda,
sem nada levar em troca,
envio-vos esta prenda
da nacional fofoca !

A CORRUPÇÃO EM PORTUGAL

Corrupção em Portugal?
É nacional e dá mote
à Câmara da Capital,
reino do luso fartote,
fado em rima sem igual
A merecer um bom chicote!

Haja quem à corrupção
faça quadras lindas, fartas,
Pra boa interpretação
pelos fadistas-autarcas.

A corrupção é uma Torre,
Entre pontes levadiças,
que precisa de um bom Guia
pra levantar as adriças.

Corrupção em Portugal?
Nunca ninguém é culpado,
Pois é facto tão normal
que a culpa mora ao lado
e em caso de astuta asneira
a culpa morre solteira.

Dizem: somos atrasados,
quem o diz não tem visão,
pois estamos avançados
na “arte” da corrupção:
Ó Abreu dá cá o meu
e diz ao mundo que é teu!

Com alguns rebuçadinhos
e cafés com vários leites
os corruptos bonzinhos
aliviam os azeites!

Figas Saint Pierre de la Buraque

Ó ABREU DÁ CÁ O MEU

Ó Figas, ó Figueiredo,
mas que mote, que motão,
que diacho de enredo
trouxeste pra rimação,
que raio de profissão
entre as musas de lineu
me colocas, olha que eu
pra também não variar
começo já a gritar:
ó Abreu dá cá o meu!

Ó Figas, quem prometeu
pra não cumprir a promessa
e a seguir esqueceu
o que tinha na cabeça
logo se voltou depressa
porque viu em exaustão
o saco desta nação
a perder de todo a cor,
azul pôdre de bolor
negro de corrupção...

Ó que enorme palavrão
que do baixo vai ao alto,
a pedir um esquadrão
em blindados de assalto
e por isso ao voto falto
por entender não ser eu
que vota em quem roeu
a corda da minha esperança,
ó Figas entra na dança,
ó Abreu dá cá o meu!...

Torre da Guia



CORRUPÇÃO EM DESENVOLVIMENTO

Ó Torre, farol e guia,
tu sabes que a corrupção
não é mera fantasia,
farsa ou pura ilusão,
é impulso de ladrão
que entra em tal liça,
mas pôe massa na Suiça
e se o algo alguém chamar
desata logo a gritar:
Corrupto, eu?.. Não, Chiça!..

"Santos autarcas" aos montes,
corruptos mais que muitos,
entram magros os bisontes,
mas engordam os presuntos,
com eles fazem bons untos
prás máquinas olearem
e de "santos" os tratarem,
pois gostam de bem curtir
vendo o Povo a aplaudir
por assim tanto gamarem!

Um pequeno país temos
com doutores e engenheiros
entre grandes e pequenos
corrompidos por dinheiros
para sermos os primeiros
com corrupto diploma,
poi parece a melhor forma
para dizer de lineu,
"ó Abreu dá cá o meu",
dá pra cá e pra lá: toma! (manguito)

Autor: Silvino Taveira Machado Figueiredo
Gondomar-Portugal

Bónus do Autor:

Pra uma boa corrupção,
é preciso ser capaz:
de dar a parte da frente,
e logo a parte de trás

Figas

E A CORRUPÇÃO SEGUE AVANTE

Figas, Figas, ó fiuza,
ó ressureitor coveiro,
pões as figas na blusa
e no bolso o dinheiro
fiado no pregoeiro
do São Pedro hodierno,
esse santinho eterno
que ordena réu a réu:
corruptores para o céu,
corrompidos pró inferno.

Amigo, no teu caderno
da vida em sabedoria
tu és um velho moderno
mas os novos com mania
presumem que a velharia
perdeu dos cinco sentidos
o melhor que os atrevidos
usam sem ter a noção
e por isso sem querer são
os primeiros corrompidos.

Nunca tomes comprimidos
dos azuis, pois fazem mal,
não te alinhes aos vencidos,
usa pedrinhas de sal,
piripiri que mais vale
quando quiseres corromper
algo que pode valer
uma feliz ascensão
sem que haja corrupção
nem crime pra responder.

TdG = Que há-de morrer a "escrever"...





Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui