Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
43 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59040 )

Cartas ( 21234)

Contos (13081)

Cordel (10287)

Crônicas (22188)

Discursos (3163)

Ensaios - (9402)

Erótico (13483)

Frases (46385)

Humor (19249)

Infantil (4423)

Infanto Juvenil (3673)

Letras de Música (5476)

Peça de Teatro (1335)

Poesias (138140)

Redação (3049)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2425)

Textos Jurídicos (1944)

Textos Religiosos/Sermões (5495)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->BRASIL APIMENTADO -- 08/10/2006 - 11:08 (Andarilho) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Número do Registro de Direito Autoral:131197869053428800



BRASIL APIMENTADO
Silva Filho



O Brasil está bem apimentado
Com pimenta que causa paralisia
Não os pratos com pimenta temperados
Que turistas apreciam na Bahia;
Aqueloutra o Brasil tem no traseiro
Colocada por político bandoleiro
E o povo morre por asfixia.

Bem afirma um adágio secular
Abaixar-se com excesso tem seu risco
O traseiro fica sem qualquer escudo
E alguém aproveita pra confisco;
Água mole ao bater em pedra dura
No traseiro tanto bate até que fura
Permitindo a entrada de marisco.

Não se trata de rimar uma piada
Muito menos de fazer alguém sorrir
O Povão vai ficando mais ‘lesado’
No sentido que se queira traduzir;
Os espertos aproveitam a demência
Vaselina com a sua anuência
Panacéia pra ninguém se afligir.

O Brasil se encontra mui curvado
À mercê de qualquer estuprador
A pobreza não dispensa um assédio
Quando passa um galante predador;
Como jovem prostituta no bordel
Quer a plebe receber até pastel
Compensando a nudez e sua dor.

O Brasil de contrastes indecentes
Tem riquezas que só servem ao Poder
Poucos ricos ficam com o cabedal
E a massa se contenta em saber
Que o país tem riquezas colossais
E as promessas quase sobrenaturais
Algum bem poderão desenvolver.

Há quem julgue a pobreza necessária
Pra manter os intentos dos barões
Dependendo da ração em sua boca
Ninguém ousa discutir opiniões;
Essa plebe é a ‘mina’ dos mandantes
Disfarçados como mitos governantes
Ou gigantes que controlam os anões.

O Brasil traspassou a puberdade
E por isso deve erguer sua cabeça
Impedindo os ataques imorais
Antes mesmo que o povo desvaneça;
Impingindo o castigo aos algozes
Entoando reação em muitas vozes
Dando troco integral a quem mereça.

/aasf/






Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 682 vezesFale com o autor