Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
22 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57550 )
Cartas ( 21185)
Contos (12638)
Cordel (10186)
Crônicas (22292)
Discursos (3141)
Ensaios - (9093)
Erótico (13416)
Frases (44327)
Humor (18630)
Infantil (3915)
Infanto Juvenil (2862)
Letras de Música (5480)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138276)
Redação (2948)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4994)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->NO PILAR DE QUATRO, A ANDAR -- 24/05/2004 - 13:49 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
"NO PILAR DE QUATRO, A ANDAR"



Meu amado "Bode Milagroso"

Foste tu, o "Boécio do Pilar"...

Com teus cascos fendidos,

Pisaste forte no torrão,

Sem tostão,lideraste o f... povão...



Bodejando apressado, excitado...

O cheio de gaia de pé e ponta a comunicar,

A mensagem para massa fermentar,

E as autoridades constituídas a encarar,

Frederico Bode para prefeito do Pilar.



Pra prefeito...perfeito...,Sim Sinhô...Doutô...

O Bode é querido e tinhas valor,

Macho,desassombrado,imaculado

E o coroné do Pernanbuco Novo, a espiar...

O Frederico bode no caminhar...



Nas bodegas ao amanhecer

Os pingunços opilados a enaltecer,

A figura do salvador do Pilar,

No botulismo sentir a dor Manguaba

No tibornear inclemente em seu ventre.



Vivente na canga e no mourão

O povo oprimido tem sede constante

De justiça,saúde e educação

Não somente de àgua e de pão,

Safadeza e enganação em tempo de eleição



Na sua rouquidão do é...É...É...

Frederico naturalmente confirmar...

A frustação social do Torrão...

Tanto tempo de enganosa exploração,

Com a proliferação de políticos ladrões...



Febre,frio,vômito,dor de cabeça...

Doutô do município a olho nú receitar anador...

Nos inocentes desnutridos sem lar,

E o caprino a bodejar...

A voz do povo do Pilar...



E o Bode Frederico passando...

A burguesia na venta colocando a mão...

O padre atacando o diabo no sermão...

O cordeiro sacrificado no asfalto...

O perdão do "bom ladrão"...



Eita...Eita... situação dos diabos desta terra...

BDH cachaceiro a gritar,na força da aguardente...

Valei-me,meu Padin Ciço,

Mataram o prefeito Bode Frederico...



Aos prantos e romarias na tarde noite...

Assassinaram...calaram...nossa...voz...

Tristes...bandidos...desumanos...

O Bode Frederico...O prefeito do Pilar...

O sete de setembro chegou...

As cornetas da estreitas avenida Artur Ramos ativando a dor...

Da ausência sentida para sempre

Do Bode Frederico no futuro seria governador!!!

De Alagoas de políticos sem amor!!!





Marcos Alexandre Martins Palmeira

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui