Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
50 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59013 )

Cartas ( 21233)

Contos (13072)

Cordel (10287)

Crônicas (22188)

Discursos (3163)

Ensaios - (9398)

Erótico (13482)

Frases (46351)

Humor (19239)

Infantil (4419)

Infanto Juvenil (3662)

Letras de Música (5476)

Peça de Teatro (1335)

Poesias (138121)

Redação (3046)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2425)

Textos Jurídicos (1943)

Textos Religiosos/Sermões (5487)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->CORDEL A FINADO -- 02/11/2005 - 08:08 (Andarilho) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Número do Registro de Direito Autoral:131197869271732500
CORDEL A FINADO
Silva Filho


Se tudo passa na vida
Nós também vamos passando
Uns devagar, escorando
Outros em louca corrida;
Uns brigando por comida
Outros comprando fiado
Mas somente o aposentado
Faz um refrão com trejeitos
Vou lutar por meus direitos
Enquanto não sou finado.

Passa a fase de criança
Passa nossa juventude
Passando a bola de gude
Deixando só esperança;
Passa também a lembrança
Do cidadão respeitado
Que hoje é escorchado
Por governos insuspeitos
Vou lutar por meus direitos
Enquanto não sou finado.

Passa o tempo de estudo
Saudades da Faculdade
Tempos de credulidade
Promessas dalgum escudo;
Mas na era do barbudo
Bem me lembro do ditado
Quem nasce torto, coitado
Não tem os traços refeitos
Vou lutar por meus direitos
Enquanto não sou finado.

O Governo vai passando
Mas a fome não desiste
Qualquer promessa é chiste
Pra quem ficou esperando;
O pobre vai desmaiando
Sem sequer ser medicado
O remédio foi roubado
O hospital não tem leitos
Vou lutar por meus direitos
Enquanto não sou finado.

Se correr o bicho pega
Se ficar o bicho come
O eleito sempre some
E o seu passado renega;
A Justiça nasceu cega
E o Congresso ocupado
Tem trabalho redobrado
Pra corrigir seus defeitos
Vou lutar por meus direitos
Enquanto não sou finado.

/aasf/
MOTE E GLOSA: Silva Filho



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 761 vezesFale com o autor