Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
253 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57924 )
Cartas ( 21204)
Contos (12783)
Cordel (10233)
Crônicas (22048)
Discursos (3145)
Ensaios - (9188)
Erótico (13447)
Frases (45006)
Humor (18866)
Infantil (4083)
Infanto Juvenil (3105)
Letras de Música (5496)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138507)
Redação (2982)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2415)
Textos Jurídicos (1932)
Textos Religiosos/Sermões (5174)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->FAZENDA GADO BRAVO – Em Prosa e Verso -- 11/10/2005 - 17:45 (José de Sousa Dantas) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
FAZENDA GADO BRAVO – Em Prosa e Verso
Livro de PAULO ABRANTES, lançado em set/2005, em João Pessoa e Pombal - PB
Interpretação de José de Sousa DANTAS, em 11/10/2005

O POETA ou ESCRITOR
tem o sagrado dever
de relembrar e escrever,
com diligência e vigor,
inspiração e amor,
A SUA HISTÓRIA REAL,
A SUA TERRA NATAL,
revelando em prosa e verso
um abundante universo,
distinto e fundamental.

O AMOR DE CADA UM
À SUA TERRA NATAL
é sentimento normal,
espontâneo, incomum,
não se compara a nenhum,
permanece a vida inteira
aquela fase primeira,
que todo tempo recorda,
e do CORAÇÃO transborda
a emoção verdadeira.

PAULO ABRANTES DE OLIVEIRA
é poeta e escritor,
engenheiro, professor,
desenhista de primeira,
de projeção altaneira,
que eleva a sua terra,
a FAZENDA, o pé da serra,
as primorosas paisagens,
reproduzindo as imagens
em POESIA que se encerra.

PAULO ABRANTES DE OLIVEIRA
fez um livro interessante,
valioso, edificante,
distinto e de cabeceira,
com história verdadeira
sobre a sua região,
o folclore, a tradição,
os costumes da FAZENDA,
a farinhada, a moenda,
as festas de apartação.

A FAZENDA GADO BRAVO,
retratada em Prosa e Verso,
é um livro que reúne
um magnífico universo,
poético e primordial;
AS LEMBRANÇAS DE POMBAL,
UMA HISTÓRIA SECULAR,
que vale a pena ser lida,
recordada e revivida,
por ser autêntica e exemplar.

Cada verso, cada frase,
criada pelo autor,
tem o legítimo sabor
da sua dourada fase,
que sempre serviu de base
pra fazer a descrição
sobre o seu VELHO RINCÃO,
a sua adorada aldeia,
que o LIVRO homenageia,
com amor e gratidão.

UM LIVRO DE CABECEIRA,
de elevada distinção,
que tem apresentação
do Doutor CARLOS PEREIRA,
de JERDIVAN e OLIVEIRA
DE PANELAS - repentista,
com Otacílio Batista,
que fizeram cantoria
na FAZENDA, e hoje em dia
se relembra da conquista.

O LIVRO fala em Ribinha,
Anízio, Vicente e Fan,
Severino, Jerdivan,
Verneck, Dantas, Teinha,
Tarcisio, Onélia, Zequinha,
Romero, Ruy, Janduhy,
Arlindo, Inácio, Irani,
Celso, Arruda, Genival,.......
muita gente de POMBAL,
família Abrantes, Lucy.

Raul, Yedo, Carrinho,
Milico, Solha, Carmita,
Plínio, Rafael, Anita,
Atêncio, Ghandi, Pretinho,
Jairo, Dunga, Verissinho,
Chico Pereira, Levi,
Wilson Seixas, Elry,
Pedoca, Azuil, Lelé,
Marcílio, Sales, Bebé,
Padre Solon, Zé Ary,...

Os TEMAS NO LIVRO são:
A Fazenda Gado Bravo,
O mel de flor e de favo,
A mãe da lua, O furão,
A palhoça do trovão,
O sítio de Zé Ferreira,.......
Inácio da Catingueira
na peleja com Romano,
no sertão paraibano,
num sábado dia de feira.

O alpendre, o casarão,
a roça, o pátio, o terreiro,
o riacho, o tabuleiro,
o plantio de feijão,
de milho, de algodão,
de alho, pimenta e cravo,
o arrebol da cor flavo,
todas belezas da estância,
Tempos Doirados da Infância
da FAZENDA GADO BRAVO.

O refresco de cajá,
doce da flor de mofumbo,
canapu da cor de chumbo,
melancia, jatobá,
melão caetano, juá,
e outros frutos docinhos,
que se acham nos caminhos,
que tem ALFAZEMA BRABA,
onde se pescou PIABA,
escutando os passarinhos.

O AÇUDE DAS TRINCHEIRAS
é fonte de POESIA,
que a gente tanto curtia
nas velhas tamarineiras,
das saudosas brincadeiras,
vendo o peixe lapeando,
com piaba procurando
as iscas com outros peixes
navegando entre os feixes
de varas, de vez em quando.

O ESTOURO DA BOIADA,
rebelde, arisca, explosiva,
uma cena que está viva
na mente pra ser lembrada,
cultivada e divulgada,
no LIVRO está incluída,
pra ser lida e ser relida,
por toda população,
em qualquer ocasião,
uma história divertida.

A CASA DO MEU AVÔ
ERA TUDO PARA MIM,
um prazeroso jardim,
um sublime bangalô,
hoje em dia quando eu vou
passear no meu sertão,
revejo aquele RINCÃO,
os caminhos do roçado
naquela FAZENDA GADO
BRAVO do meu coração.

O MEU SERTÃO PERMANECE
DENTRO DO MEU CORAÇÃO,
é fonte de inspiração,
que me ilumina, engrandece,
me encanta e me envaidece,
me enche de alegria,
de coragem e energia,
de paz e prosperidade,
de fé e felicidade,
de saudade e POESIA.

Inda hoje eu sinto o cheiro
do amanhecer no SERTÃO,
da flor de rompe-gibão,
de mofumbo e de pereiro,
de angico e marmeleiro,
de velame e de pinhão,
de jurema e cansanção,
de mastruz para estresse.
O MEU SERTÃO PERMANECE
DENTRO DO MEU CORAÇÃO.

Quer ver meu peito apertar,
me fale do meu SERTÃO,
a dança, o xote, o baião,
a cultura popular,.....
que me leva a me expressar,
com entusiasmo e paixão,
a fazer composição,
um poema ou uma prece.
O MEU SERTÃO PERMANECE
DENTRO DO MEU CORAÇÃO.

EITA SAUDADE DANADA
DO MEU TEMPO DE CRIANÇA,
que nunca sai da lembrança,
a minha infância dourada,
a minha terra sagrada,
que me traz recordação,
conforto, satisfação,
tudo o quanto me enternece.
O MEU SERTÃO PERMANECE
DENTRO DO MEU CORAÇÃO.

A FAZENDA é um recanto,
cheio de tanta riqueza,
que a santa NATUREZA
lhe revestiu de encanto,
é por isso que eu canto
essa singela canção,
derramando a emoção
do peito que me embevece.
O MEU SERTÃO PERMANECE
DENTRO DO MEU CORAÇÃO.

POMBAL meu torrão amado
do meu nobre nascimento,
que lembro todo momento,
mesmo morando afastado,
mas permanece guardado,
DENTRO DO MEU CORAÇÃO;
tenho consideração
por meu querido POMBAL,
um apreço especial,
uma eterna gratidão.

A MINHA INFÂNCIA DOURADA,
os anos não trazem mais,
os conselhos dos meus pais,
minha primeira morada,.......;
uma parte está guardada,
dentro da minha memória,
que na minha trajetória,
eu recordo com SAUDADE
a velha propriedade,
muitos momentos de glória.

Em qualquer canto que esteja,
eu lembro a velha FAZENDA,
a pescaria, a moenda,
dois poetas na peleja,
o charme da sertaneja,
bela, atraente e da gema,
com um cheiro de ALFAZEMA,
da essência nordestina,
tudo isso me fascina,
me leva a fazer POEMA.

MENINO TENHA CUIDADO,
NÃO QUEIRA LOGO CRESCER !
Menino aproveite a fase
dourada para valer -
ela é única e passageira,
bela, pura, prazenteira,
especial e ditosa,
doce, espontânea, querida,
a fase nobre da VIDA,
marcante e maravilhosa.

UM SONHO DE MENINO

Todo CIRCO que estava na cidade,
eu queria assistir toda atração,
para ver os artistas no saguão,
revelando a maior habilidade;
vendo o show, despertou-me a vontade
de seguir a CARREIRA DE ARTISTA,
para ser um brilhante equilibrista,
conhecer todo canto do País,
e esse sonho me deixava feliz,
que seria, pra mim, uma conquista.

Foi-se embora a esperança de rever
as GAROTAS DO CIRCO desfilando,
que na época eu ficava admirando,
assistindo de perto pra saber
os detalhes, passando a me envolver
vendo a dança e a bela acrobacia,
um espetáculo cheio de POESIA,
de encanto, de luz e esplendor,
tão marcante no meu interior,
que me trouxe ilusão e alegria.

ESMERALDA, uma deusa superfina,
doce, bela, distinta, SENSUAL,
elegante, simpática, cordial,
espontânea, sensata, feminina,
delicada, poética, vitalina,
radiante, perfeita, caliente,
carinhosa, leal, nobre, decente,
musa, alegre, formosa, inspiradora,
meiga, pura, ROMÂNTICA, encantadora,
altaneira, discreta, inteligente.

Quando lembro os encantos da FAZENDA,
me dá logo vontade de sair
pra POMBAL e poder me divertir,
reviver os bons tempos, a moenda,
as mulheres no lar fazendo renda,
tomar banho nas águas cristalinas,
ouvir canto das aves nas campinas,
ir pescar de anzol, pegar PIABA,
tirar manga, caju, pinha, goiaba,
desfrutar das belezas nordestinas.

Frases de PAULO ABRANTES

·Ainda posso SONHAR as fantasias de infância
·O AMOR TELÚRICO toca o coração da pessoa
·A FAZENDA GADO BRAVO não sai da minha memória
·O MEU SERTÃO permanece vivo dentro do meu coração
·Seu MELHOR AMIGO é você mesmo
·A casa do meu avô ERA TUDO para mim
·Quem é que não tem SAUDADE do seu tempo de criança.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui