Usina de Letras
Usina de Letras
38 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59274 )

Cartas ( 21241)

Contos (13148)

Cordel (10297)

Crônicas (22219)

Discursos (3164)

Ensaios - (9463)

Erótico (13486)

Frases (46710)

Humor (19312)

Infantil (4487)

Infanto Juvenil (3784)

Letras de Música (5484)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138414)

Redação (3059)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5563)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->O MENINO DA SUA MÃE...- FERNANDO PESSOA - -- 22/02/2004 - 18:48 (Leinecy Pereira Dorneles) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
No plano abandonado

Que a morna brisa aquece,

De balas traspassado

Duas , de lado a lado-

Jaz morto, e arrefece.





Raia-lhe a farda o sangue.

De braços estendidos,

Alvo, louro, exangue,

Fita com olhar langue

E cego os céus perdidos.



Tão jovem! que jovem era!

( Agora que idade tem?)

Filho único, a mãe lhe dera

um nome e o mantivera:

"o menino de sua mãe".



Caiu-lhe da algibeira

A cigarreira breve.

Dera-lhe a mãe. Está inteira

E boa a cigarreira.

Ele é que já não serve.





De outra algibeira, alada

Ponta a roçar o solo,

A brancura embainhada

De um lenço... Deu-lhe a criada

Velha que o trouxe ao colo.





Lá longe, em casa, há a prece:

"Que volte cedo, e bem!

( Malhas que o Império tece!)

Jaz morto, e apodrece,

O menino da sua mãe.



- Fernando Pessoa - Poesias.
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui