Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
48 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59012 )

Cartas ( 21232)

Contos (13078)

Cordel (10287)

Crônicas (22188)

Discursos (3163)

Ensaios - (9397)

Erótico (13483)

Frases (46347)

Humor (19241)

Infantil (4418)

Infanto Juvenil (3659)

Letras de Música (5476)

Peça de Teatro (1335)

Poesias (138114)

Redação (3046)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2425)

Textos Jurídicos (1941)

Textos Religiosos/Sermões (5486)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->SUA MAJESTADE - O CORDEL -- 26/07/2005 - 07:23 (Andarilho) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Número do Registro de Direito Autoral:131197871733806600
SUA MAJESTADE – O CORDEL
Silva Filho


O Cordel é Majestade
Ou melhor – Rei do Sertão
É um arauto de verdade
Andando sem restrição
Dentro da diversidade
Sem perder o bom refrão.

Cordel é paz, harmonia
Brilho, deleite e esperança
Canto, prenúncio, magia
Presente em toda festança
Se entrar numa arrelia
Logo, logo, o brabo amansa.

De tudo falando um pouco
Segredos, crises, paixão
Desse mundo muito louco
Fala também de ladrão
Neste tema fica rouco
Mas não tem repercussão.

Descrevendo a natureza
Serras, rios, lagos, vales
Um vergel em sua beleza
Vai curando nossos males
É o remédio pra tristeza
E mais bonança nos lares.

O Cordel é mais que isso
Mares, fauna e florestas
É um verdadeiro ouriço
Que se mete pelas frestas
Há quem chame de feitiço
Conseqüência das arestas.

Cordel tem cheiro de povo
Cordel tem cheiro de mata
Sendo mesmo um renovo
Que qualquer leigo constata
Enfrenta bem o estorvo
Que não ata e nem desata.

O Cordel topa arenga
De nível bem elevado
Digamos, uma pendenga
Com duelo bem rimado
O perdedor sai capenga
E o vencedor consagrado.

O Cordel lembra o amor
Rimando com coração
Pra um romance compor
Na mais intensa paixão
Pois se mulher tem de ror
Cada um tem seu quinhão.

Descrevendo algum cenário
O Cordel traz emoção
Lembrando aquele canário
Que trinou no meu rincão
Em qualquer itinerário
Vou ouvir a orquestração.

O Cordel é Cantoria
Na voz do bom repentista
Numa noite quente ou fria
O povo aplaude o artista
Cordel tem hegemonia
Parabéns ao Cordelista.

/aasf/


Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 873 vezesFale com o autor