Usina de Letras
Usina de Letras
121 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62161 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10449)

Cronicas (22530)

Discursos (3238)

Ensaios - (10347)

Erótico (13567)

Frases (50573)

Humor (20027)

Infantil (5422)

Infanto Juvenil (4752)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140790)

Redação (3302)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1959)

Textos Religiosos/Sermões (6182)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->Ausência -- 25/01/2004 - 17:33 (Zara) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Dispersas as virtudes humanas

Fracas e solitárias

Dificilmente se aventuram

Por incontáveis tempos se acovardam

Trêfegas, não logram a pureza

Taciturnas e diáfanas

Deixam impelido um grito contido

Vontade, vontade que não se alcança

Se não é por ganância

É menos por coragem

Tem interesse, esse é o ser humano

Ridículo na morte e desde o seu nascimento

Que sente e chora por sua própria miséria

É virtuosamente sem virtudes.







"Botucatu, 06 de janeiro de 2004 – 23:43"



E-mail: btmtg@bol.com.br
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui