Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
202 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59061 )

Cartas ( 21235)

Contos (13084)

Cordel (10287)

Crônicas (22192)

Discursos (3163)

Ensaios - (9412)

Erótico (13484)

Frases (46426)

Humor (19257)

Infantil (4428)

Infanto Juvenil (3686)

Letras de Música (5476)

Peça de Teatro (1336)

Poesias (138178)

Redação (3049)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5503)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->ESTAÇÃO DO POEMA -- 18/05/2005 - 17:31 (Andarilho) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Número do Registro de Direito Autoral:131197869636335100
ESTAÇÃO DO POEMA
Silva Filho


Qual ave de arribação
O poeta vai e volta
Sai devagar, sem escolta
Sem destino ou direção;
Vai procurar combustão
Quando a verve esvaece
Quando a rima já esquece
Como armar a desinência
O POEMA TEM ESSÊNCIA
E O POETA TEM A MESSE.

Tem o verso a estação
Quando vem em temporada
Com a força de enxurrada
Com o barulho do trovão;
Com o fervor da ebulição
Antes que a fervura cesse
Faz a rima sua quermesse
Dentro da conveniência
O POEMA TEM ESSÊNCIA
E O POETA TEM A MESSE.

Na temporada não falta
Qualquer espécie de tema
Nem dilema e nem trilema
Deixa o poeta sem pauta;
Seu astral está em alta
E o seu estro também cresce
O melhor logo aparece
Com beleza e congruência
O POEMA TEM ESSÊNCIA
E O POETA TEM A MESSE.

Que se tire bom proveito
Dessas fases de deleite
Declarando o nosso aceite
Para todo bom preceito;
E no trabalho ou no leito
Um bom poema se tece
Quando a rima resplandece
Desde a nossa inconsciência
O POEMA TEM ESSÊNCIA
E O POETA TEM A MESSE.

Pois me ponho a meditar
No poder da natureza
Aos seres dando firmeza
No momento de migrar;
Quem esteve a transitar
Por onde a vida estremece
Viu que o mundo enternece
Com perfeita confluência
O POEMA TEM ESSÊNCIA
E O POETA TEM A MESSE.

/aasf/
MOTE E GLOSA: Silva Filho


Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 839 vezesFale com o autor