Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
92 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57385 )
Cartas ( 21182)
Contos (12609)
Cordel (10139)
Crônicas (22258)
Discursos (3139)
Ensaios - (9064)
Erótico (13414)
Frases (44149)
Humor (18586)
Infantil (3848)
Infanto Juvenil (2803)
Letras de Música (5476)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138552)
Redação (2942)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2408)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4944)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Contos-->O Pacto com o Demônio -- 05/07/2003 - 00:18 (Marcelo de Oliveira Souza,IWA Instagram:marceloescritor) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Mário Elano era um funcionário de uma financeira, trabalhava como contínuo, levando papéis para lá e para cá, conhecia todos no seu trabalho, porém mantinha uma certa distância de todos, por causa de sua timidez. O seu melhor amigo era chamado de Bira, também tinha a mesma função na empresa que ele e muitas vezes elaboravam os mesmos trabalhos.
As pessoas da empresa gostavam muito de fazer uma farra durante as sextas feiras, passavam horas tomando cerveja e jogando conversa fora com a maioria dos colegas.
Num desses encontros, Elano e Bira foram convidados pela enésima vez a aparecerem, como estavam juntos, eles tomaram coragem e foram lá, que era bem pertinho do local onde trabalhavam.
Para sua grande surpresa e desconforto estava Márcia, a secretária da empresa, que era um verdadeiro monumento de mulher, onde a turma toda desejava ansiosamente a sua atenção. Ela se dava bem com todos os funcionários, porém todos sabiam que o chefe morria de amores por ela, que com seu grande jogo de cintura, sabia leva-lo na rédea curta.
O papo foi bastante animado, como todos que são regados a muita cerveja, com uma turma razoavelmente grande, terminou varando a madrugada.
O que mais intrigou o pessoal, foi como Elano olhava para Márcia, conotando uma grande paixão escondida...
Na segunda-feira não se falava em outra coisa, mas quando ele chegava no recinto, nada se comentava. A turma dos céticos sempre negava o fato veementemente, dizendo que a classe em que os separavam era muito grande, e nunca ele iria ter um monumento daquele.
Mas o nosso amigo vivia há muito tempo sonhando com aquela mulher, que povoava os seus pensamentos durante o dia e principalmente à noite, o seu travesseiro tinha o nome dela, possuía muitas fotos da garota em casa, até uma foto dela de biquíni ele possuía, de uma festa antiga no clube, que ele teve que adquirir de um funcionário por cinqüenta reais, que já estava bastante gasta pelo uso indiscriminado.
Um dia a galera do seu serviço resolveu fazer uma aposta, cada um deu duzentos reais, fazendo uma soma de três mil reais para Márcia namorar um dia somente com ele, e assim constatar o fato de sua paixão, o que ela ganhava? Quinhentos reais, dos perdedores...
Assim foi feita a aposta e numa dessas reuniões de sexta, foi quente! Não deu outra, Márcia começou a dar uma atenção maior para ele, culminando em um longo beijo, proporcionado por ela, pois se dependesse dele, isso nunca aconteceria...
Foi uma zoeira total, Bira então, ficou de queixo caído, pois ele também era um dos tantos admiradores dela.
No sábado, ele resolveu aparecer na casa dela, encontrando só de camisão, surpreendendo-a com um homem, ele tentou até ensaiar um escândalo, mas ela disse que não tinha nada com ele e tudo aquilo era somente uma aposta, e como ela estava sem dinheiro, aceitou prontamente.
Nosso amigo saiu cabisbaixo, totalmente desmoralizado por todos, Bira já tinha chamado atenção dele diversas vezes, sobre a brincadeira de péssimo gosto que seus colegas impõem um ao outro.
No primeiro dia útil depois daquela triste cena, ele nem foi ao trabalho, mas no outro dia foi com a cara e a coragem , levado por seu melhor amigo.
O tempo passou, ele nunca mais freqüentou aquelas rodadas de cerveja de sexta, todos se constrangiam quando ele aparecia, parando sempre a conversa, num silêncio cortante.
Um dia desse Mário Elano, se encheu de coragem e abriu um livro maldito com um monte de feitiços e até um pacto macabro com o demônio figurava destacado.
Foi o que ele teve um a triste idéia e anotou tudo direitinho, como fazer o tal pacto.
Numa noite de lua cheia, faltando cinco minutos para meia noite ele fez toda a cerimônia de iniciação, tendo que terminar exatamente no final das doze badaladas..., ficando como barganha, a alma do seu melhor amigo.
A partir daí, tudo na vida de Elano se modificou, começou a se vestir melhor, galgando sempre postos de mais responsabilidade, chegando até a ser chefe do setor mais desejado na empresa, tudo isso em questão de um ano e meio.
Assim, nosso personagem já se tornara uma pessoa bastante respeitada no seu ambiente de trabalho, seu grande amigo, Bira, ficava até com reservas de sair com ele, diante de todo poder recente de Elano, que já possuía um carro nosso e um apartamento próprio num bairro mais importante da cidade.
Márcia já o olhava com outros olhos, com uma profunda admiração, tendo em vista sua ascensão na empresa, foi quando Mário Elano a chamou para sair numa noitada, indo terminar em um motel de luxo, que tinha tudo que sua fantasia permitia.
Um ano depois dele conseguir tudo que almejara, ele tinha que cumprir o prometido,de entregar a alma do único amigo fiel, num ritual macabro.
Isso o incomodava bastante, até que resolveu não cumprir o pacto e deixar o tempo passar.
Após um curto espaço de tempo, ele perdeu tudo da mesma forma que ganhou, sendo até demitido...
Como castigo para sua pena, ele foi transformado em um transexual, com uns peitos bem grandes, uma “loira” de fechar o transito.
Mas como cosia ruim vem em dobro, arrumou um grande admirador, um crioulo de quase dois metros de altura, que era o cafetão da área, perseguindo-o diariamente, até que conseguiu o intuito de levar o pobre Mário para a cama, depois disso virou um certo tipo de escravo sexual do cafetão, e ironicamente tinha feito o mesmo pacto para enriquecer, entregando o que mais gostava, a loira Elano, que morreu justamente cinco anos após o triste pacto, sendo oferecido de bandeja para o demônio como pagamento de sua dívida.


MARCELO DE OLIVEIRA SOUZA,IWA









Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui