Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
106 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59051 )

Cartas ( 21235)

Contos (13079)

Cordel (10287)

Crônicas (22189)

Discursos (3163)

Ensaios - (9406)

Erótico (13483)

Frases (46405)

Humor (19251)

Infantil (4424)

Infanto Juvenil (3679)

Letras de Música (5476)

Peça de Teatro (1336)

Poesias (138156)

Redação (3049)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5502)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->GALOPE DA VIDA -- 12/04/2005 - 07:18 (Andarilho) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Número do Registro de Direito Autoral:131151910099112400
GALOPE DA VIDA
Silva Filho


Para quem se compraz em rimar
Tem o dom inaudito fulgor
Pois da mente é o fiel tradutor
Emoções sempre estão a jorrar;
O que o bardo quer descortinar
Vem da verve em jargão de magia
Um clarão que por dentro alumia
Desvelando a melhor compleição
NO GALOPE NA BUSCA DO PÃO
VOU COLHENDO A MELHOR POESIA.

Os amigos me levam a reboque
Numa trilha escabrosa, alpestre
Pois aqui no passeio eqüestre
No meu verso vou dando retoque;
Meu cavalo conhece o emboque
Para andar em qualquer freguesia
Norte a Sul, sem faltar cercania
Que perguntem ao meu alazão
NO GALOPE NA BUSCA DO PÃO
VOU COLHENDO A MELHOR POESIA.

Faço verso dormindo e sonhando
Mas sonhando deleto o arquivo
Acordando constato - estou vivo
Foi com a vida que estive rimando;
Logo alguém já está me lembrando
Que o trabalho também é porfia
Sem suar não se tem mordomia
Não se tem nem arroz nem feijão
NO GALOPE NA BUSCA DO PÃO
VOU COLHENDO A MELHOR POESIA.

Já tentei ser um bom escritor
Mas o verso tornou-se um vício
Minha luta não tem armistício
Pra viver sempre sou contendor;
Ao estudo ninguém dá valor
Num contexto de pura anarquia
Meu diploma, que há muito não via
Retornou sem achar um Pistolão
NO GALOPE NA BUSCA DO PÃO
VOU COLHENDO A MELHOR POESIA.

Até mais, vou seguindo em frente
Meu galope com fome não rima
Se o meu verso me dá auto-estima
O trabalho me traz nutrientes;
Mesmo sendo alguém renitente
Não consigo passar mais um dia
Nos passeios em vã montaria
Sem dinheiro inflando o colchão
NO GALOPE NA BUSCA DO PÃO
VOU COLHENDO A MELHOR POESIA.

aasf
MOTE E GLOSA: Silva Filho


Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 777 vezesFale com o autor