Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
179 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58261 )
Cartas ( 21211)
Contos (12883)
Cordel (10242)
Crônicas (22109)
Discursos (3152)
Ensaios - (9254)
Erótico (13456)
Frases (45448)
Humor (18977)
Infantil (4205)
Infanto Juvenil (3289)
Letras de Música (5510)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138787)
Redação (3005)
Roteiro de Filme ou Novela (1059)
Teses / Monologos (2418)
Textos Jurídicos (1935)
Textos Religiosos/Sermões (5286)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->Telemedicina* -- 29/09/2020 - 17:12 (Benedito Pereira da Costa) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Telemedicina*

A telemedicina veio para ficar?

As consultas a distância mudaram o dia a dia de médicos e outros profissionais e de seus pacientes, abrindo horizontes para atendimetos até mesmo em outras cidades e países. O formato ganhou força  com a pandemias, para evitar circulação desnecessária de pessoas, mas pode continuar depois da crise.

1. Consulta virtual (Renata Ferreira  Pontes Oliveira, pediatra)

"O medo de ir a uma clínica ou hospital pr tratar a saúde tem afastado as pessoas dos consultórios médicos, como mostra pesquisa. A telemedicina tornou-se a opção emergencial e, para continuar após a pandemia, precisará de regulamentação."

"Muitas clínicas fecharam devido à pandemia, pacientes ficaram desassistidos. Ao ver que estávamos fucionando, conseguiram agendar consultas e manter tratamento."  

2. Solução temporária (Vanessa Holanda, neurocirurgiã)

"Creio que serve apenas como ferramenta a mais, principalmente, neste momento de pandemia. Não acredito que permanecerá tão forte e não sei se será permitido pelo CRM o uso após a crise sanitária." 

3. Não é exclusividade médica (Cintya Sodré, psicóloga)

A questão da privacidade é delicada, pois são raras as pessoas que conseguem ter um ambiente em que possam ficar sozinhas. Muitas desmarcam porque no dia não conseguiram ter acesso a um local dequado."  

4. Que esperar da legislação? 

Palavra de especialista (Fábio Tiepolo, fundador e CEO da Dcway, empresa brasileira de agendamento de consultas médicas)

"Após anos de debate sobre o assunto, o Projeto de Lei 696/2020, da deputada federal Adriana Ventura (Novo-SP), transformado na Lei 13.989/2020, autorizou, em caráter emergencial, a prática da telemedicina por causa da epedemia  do novo coronavírus. Esta liberação ainda não é uma  regulamentação em definitivo, visto que esse tipo de atendimento só está autorizado enquanto a saúde pública estiver em colapso por causa da pandemia. No entanto, podemos entender essa medida como um avanço em uma prática cada vez mais condizente com o mundo em que vivemos.  

A telemedicina é um termo que engloba a utilização de ferramentas tecnológicas para facilitar o acesso e o atendimento à saúde para a população. De acordo com o artigo Telehealth, do the New England Journal of Medicine, existem quatro objetivos a serem alcançados pelo sistema de saúde, que podem ser auxiliados por esse método:

a) melhorar a experiência do paciente;

b) melhorar a saúde da população;

c) reduzir o custo per capita de cuidados com a saúde;

d) melhorar a experiência em serviços de saúde. 

Médicos e pacientes podem se comunicar por videochamadas. A inserção da telemedicina na rotina ds pessoas tem benefícios econômicos e sociais. Também reduz o gasto das operadoras de saúde, influenciando em menores custos para o usuário final. Além disso, será possível levar o atendimento a locais com maior dificuldade de acesso à saúde. Assim, existem maneiras de conciliar tratamento com prevenção de doenças de baixa complexidade, ajudando a evitar que as pessoas posterguem os cuidados. 

É inegável que se trata de um avanço necessário para a medicina brasileira. Espera-se que esse primeiro teste do uso da telemedicina acelere a autorização de maneira definitiva, já que foi possível prever vários benefícios. Com essa nova percepção sobre a telemedicina, há ganhos diversos  e alguns outros setores precisarão se adaptar. Por exemplo, as operadoras de serviço de internet sentirão a necessidde de entregar seus serviços com mais qualidade, dado que será indispensável para a comunicação entre médico e paciente.

Não se trata somente de regulamentar e esperar que o sistema funcione de forma adequada. O conceito de telemedicina e suas variações é muito amplo e é necessário atenção para o entendimento e o desempenho adequado e ético dessa modlidade de serviço. Vale lembrar que é um início e que a Frente Parlamentar do Congresso, junto ao Conselho Federal de Medicina, está em constante discussões de temas sensíveis como este." 

5. Novos horizontes pós-pandemia (Melissa Andrade, nutricionista) 

"Hoje, acho muito enriquecedor. Tenho alguns pacientes de outros estados, atendi brasileiros em outros países e isso deu a chance de conhecer outras culturas alimentares. Também posso continuar acompanhando meus pacientes antigos."

Quatro plataformas de Telemedicina

Teladoc

Mdictalk

Cuidar digital

Docway 

* CB, 27/09/2020, Trabalho & formação profissional, telemedicina, pp. 2 a 7.

  

 

 

 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 24Exibido 23 vezesFale com o autor