Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
140 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58137 )
Cartas ( 21211)
Contos (12854)
Cordel (10239)
Crônicas (22080)
Discursos (3147)
Ensaios - (9225)
Erótico (13452)
Frases (45288)
Humor (18935)
Infantil (4154)
Infanto Juvenil (3232)
Letras de Música (5505)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138698)
Redação (2995)
Roteiro de Filme ou Novela (1058)
Teses / Monologos (2417)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5249)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->Hino Nacional* -- 09/09/2020 - 00:26 (Benedito Pereira da Costa) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Hino Nacional*

DICAS DE PORTUGUÊS

por Dad Squarisi >> dadsquarisi.df@dabr.com.br

Nosso hino tim-tim por tim-tim 

"Amanhã é Dia da Pátria. O Brasil se veste de verde e amarelo. Bandeiras hasteadas, prédios decorados, camisetas exibem as cores do país. A música mais tocada? É o Hino Nacional. A gente canta com entusiasmo. Mas a letra... Palavras complicadas, ordem inversa, figuras de linguagem. 

Pura arte

O autor se dirige a seres inanimados como se fossem gente. As margens falam, a liberdade ouve, o país conversa. O tratamento é íntimo (tu). Também recorre a metáforas. Berço esplêndido, por exemplo, é o território brasileiro: 8,5 milhões de km² -- com sol luminoso, terra fértil e marzão sem fim -- o tornam gigante pela própria natureza. 

Ajuda

Até os professores têm dificuldade de ensinar o hino aos alunos. Que tal uma ajudinha? A coluna revela os mistérios do símbolo desta Pindorama tropical. Em negrito, aparecem os versos como nós os cantamos. Em seguida, êles vêm em ordem direta. Nos parênteses, o sinônimo dos vocábulos difíceis. 

Hino Nacional

Letra: Osório Duque Estrada. Música: Francisco Manoel da Silva 

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas/

De um povo heroico o brado retumbante,/

E o sol da liberdade, em raios fúlgidos, /

Brilhou no céu da Pátria nesse instante. 

                                                   *

As margens plácidas (serenas) do rio Ipiranga ouviram o brado (grito) retumbante (estrondoso) de um povo heroico. E o sol da liberdade, em raios fúlgidos (cintilantes), brilhou no céu no msmo instante.

                                                   ***

Se o penhor desa igualdade/

Conseguimos conquistar com braço forte,/

Em teu seio, ó Liberdade, /

Desafia o nosso peito a própira morte! 

                                                    * 

Se conseguimos conquistar o penhor (a garantia) dessa igualdade (de ser livre) com braço forte, o nosso peito desafia até a morte em teu seio, ó Liberdade. 

                                                    *** 

Ó Patria amada,/

Idolatrada/

Salve! Salve!   

                                                 *

Ó patria amada, idolatrada (adorada, venereda), salve! 

                                                 *** 

Brasil, um sonho intenso, um raio vívido/

De amor e de esperança à terra desce,/

Se em teu céu, risonho e límpido,/

A imagem do Cruzeiro resplandece. 

                                                     *

Brasil, um sonho intenso, um raio vívido (intenso) de amor e de esperança desce à terra se em teu formoso céu, risonho e límpido (transparente), a imagem do Cruzeiro (constelação do Cruzeiro do Sul) resplandece (brilha).

                                                   ***

Gigante pela própria natureza,/

És belo, és forte, impávido colosso, 

E o teu futuro spelha essa grandeza.

Terra adorada,/

Entre outras mil,/

És tu, Brasil,/

Ó pátria amada!/

Dos filhos deste solo és mãe gentil,/

Pátria amada,/

Brasil!   

                             *

Gigante pela própria natureza,  és belo, és forte, impávido (corajoso), E o teu futuro espelha (reflete) essa grandeza. Entre outras mil, és mãe gentil (amável) dos filhos deste solo. 

                            *** 

Deitado eternamente em berço esplêndido/

Ao som do mar e à luz do céu profundo,/

Fulgura, ó Brasil, florão da América,/

Iluminado ao sol do Novo Mundo! 

                              *

Ó Brasil, florão (cúpula, joia da coroa) da América, (tu) fulguras (brilhas) iluminado ao sol do Novo Mundo deitado eternamente em berço (território) esplêndido ao som do mar e à luz do céu profundo. 

                             ***

Do que a terra mais garrida/

teus risonhos, lindos campos têm mais flores;/

"Nossos bosques têm mais vida,/

Nossa vida no teu seio mais "amores".

                               *

Teus campos risonhos  e lindos têm mais flores, nossos bosques têm mais vida, nossa vida no teu seio (interior) tem mais amores do que a terra mais garrida (enfeitada, graciosa).

                               ***

Ó Pátria amada,/

Idolatrada,/

Salve!/ Salve!/

Brasil de amor eterno seja símbolo/

O lábaro que ostentas estrelado,/

E diga o verde-louro desta flâmula:/

Paz no futuro e glória no passado. 

                               *

(Que) o lábaro (bandeira) que ostentas (exibes) estrelado seja símbolo de amor eterno. E o verde-louro (verde-amarelo) desta flâmula (bandeira) diga: paz no futuro e glória no passado.

                              ***

Mas, se ergues da justiça a clava forte,/

verás que um filho teu não foge à luta,/

nem teme quem te adora/

a própira morte.   

                              *

Mas, se a clava (bastão usado como arma) forte da justiça (tu) ergues, verás que um filho teu não foge à luta, nem teme a própria morte quem te adora. 

É isso

O Hino Nacional exalta a grandeza do país e do povo. Viva!" 

*Professora Dad Squarisi (CB, 06/09/2020, Diversão & Arte, Dicas de Português, p. 23).

 

                                   

 

 

 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 24Exibido 52 vezesFale com o autor