Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
158 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58267 )
Cartas ( 21211)
Contos (12892)
Cordel (10242)
Crônicas (22111)
Discursos (3152)
Ensaios - (9257)
Erótico (13456)
Frases (45455)
Humor (18978)
Infantil (4207)
Infanto Juvenil (3294)
Letras de Música (5510)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138790)
Redação (3005)
Roteiro de Filme ou Novela (1059)
Teses / Monologos (2418)
Textos Jurídicos (1935)
Textos Religiosos/Sermões (5287)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->CORONAVÍRUS OU ATAQUE COMUNISTA? -- 06/04/2020 - 18:40 (HENRIQUE CESAR PINHEIRO) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Não sou especialista em política e escrevo por hobby. Deste criança, acompanho política ainda lá na minha pequena Pacoti, quanto ao meio de dia,  se ouvia os rádios, os poucos na cidade, ligados na Rádio Uirapuru, o anúncio: “alô senhoras, alô  senhores aqui trabalha Cid Carvalho com sua Antenas e Rotativas.”  Portanto, desde meus 10 para 12 anos que acompanha política brasileira e mundial.

Naquele tempo, tinha inclinações esquerdistas como todo jovem e isso perdurou por muitos e muitos anos, para ser sincero até a primeira eleição do Molusco, quando me dei conta da fraude que é o esquerdismo. Era tão ligado ao comunismo, que só lia livros da esquerda. Devorei muitos e muitos livros. O mais fascinante dos esquerdistas, não direi meu ídolo, pois acho que nunca os tive, era Trosky. Os livros O profeta Amado, O profeta armado e O profeta banido, acho que li de um fôlego. Além disso me dei ao trabalho de ler a vida de Lênin, Stálin, Mao e muito outros comunistas. Chu em Lai também tinha seu lugar cativo na minha admiração; achava ser ele o mentor intelectual de Mao, a quem admirava até porque via naquelas roupas o símbolo da renúncia dele pelos valores materiais. Mas vou deixar isso de lado para ir direto ao assunto sobre o qual quero escrever.

Pois bem, vendo essa pandemia, pois parece generalizada mundialmente, e diante de tantas teorias, conversas para lá e para cada, fecha tudo, abre tudo. Enfim, esse desentendimento generalizado e o medo que as pessoas estão em casa, os protestos já surgindo, daqueles que apoiavam o isolamento e se contrapuseram a Bolsonaro quando ele foi contra. E ninguém sabe em quem acreditar. Por isso, resolvi fazer algumas considerações que acredito pertinentes. Análises minhas e meu pensamento pode divergir dos acontecimentos futuros.

Sempre, na história da humanidade, houve pessoas querendo dominar o mundo; isso não é de hoje, vem lá de remotas eras. Antes de Cristo, os grandes impérios, destacando-se Ciro, Alexandre Magno, como o maior guerreiro da época, querendo se assenhorar do mundo. Depois tivemos o império romano, Gengis Kan,o Império Otomano,  Napoleão e Hitler, enfim muitos outros conquistadores como os português, espanhóis, inglês.

Os comunistas quando chegaram ao poder na Rússia e tinham Lênin na linha de frente, naquela época, trabalharam localmente. Com a morte de Lênin, Stálin, antes de assumir, brigava com Trosky. Esse, sim já tinha plano planos de expansão e se apoderar do mundo, com sua revolução permanente, era o objetivo maior, justamente expandindo a Rússia para o resto do mundo, enquanto Stálin, não ache que estou defendendo Stálin, queria consolidar a Revolução Russa em casa.

Morto Trosty em 45, Stálin venceu, junto com os aliados, a Segunda Guerra Mundial, consolidou a revolução e se apropriou de muitos países circunvizinhos à Rússia, criando a URSS – União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, levando o terror comunista a milhões de pessoas, tendo morto, segundo estimativas vinte milhões de passou.

Imediatamente após a Segunda Guerra Mundial, veio a guerra fria e as relações diplomáticas entre Estados Unidos e Rússia ficaram estremecidas. Com o surgimento do comunismo chinês, os Estados Unidos romperam relações diplomáticas com a República Popular da China, estabelecendo relações com a China Nacionalista de Chan Kai Chenk, ou Formosa nome português, que esquecemos, para adotar Taiwan, seguindo o Brasil também o mesmo caminho.

As relações entre os Estados Unidos e a União Soviética durante os anos da guerra fria foram tensas e deixavam o mundo à beira de outra guerra mundial, desta vez nuclear, haja vista o incidente da Baía dos Porcos. Os Estados Unidos, com o país líder do mundo capitalista, via a dificuldade de combater em duas frentes: contra a União Soviética e a China. Como o poderio soviético na época era temido, em 1975, Richard Nixon, nesse jogo de xadrez, deu um passo errado, isso vendo-se os acontecimentos atuais, mas poderia ter sido pior, levando-nos a uma guerra sem precedentes, reatou relações diplomáticas com a China e muitos países capitalistas seguiram os Estados Unidos, dentre eles o Brasil.

A China aproveitou a oportunidade de distração dos capitalista, ficou quieta, desenvolvendo seu poderio militar e fazendo de conta que estava se modificando, modernizando-se e entrando na esteia do capitalismo após a morte de Mao Tse Tung em 1975, que por sinal matou mais do que Stalin,  com a ascensão ao poder de Deng Xiao Ping, que deixou os Estados Unidos e a URSS se confrontarem, e ficou na espreita.. Até que em 1989 cai o Muro de Berlim e em 1992 vem o colapso soviético.

Os capitalistas vibraram e acharam que haviam exterminado os comunistas. Só que estes havia armado um bote bem mais ousado e a China continua seu jogo na surdina, entrando na era capitalista, mas sem deixar de ser comunista; ou seja, capitalista fora de suas fronteiras e comunista dentro de casa, confrontando o expansionismo dos Tigres Asiáticos da época, ou seja, Hong Kong, Coreia do Sul, Formosa e Cingapura. Para facilitar ainda mais a vida dos comunistas chineses a Inglaterra concordou em devolver Hong Kong à China.

Então, o expansionismo chinês ganha mercado com seus produtos baratos e de péssima qualidade copiados dos países industrializados do mundo capitalista. A partir de 2002, surgiram, vindo lá da China, as gripes aviária, suínas e por aí vai, até o coronavírus de hoje.

Tudo isso, leva-nos a estranhar, que por ocasião da vitória de Bolsonaro, inconformados os petistas, por meio de José Dirceu, tenham dito: “ninguém pode imaginar do que somos capazes de fazer para retomar o poder...”

Isso, portanto, não cheira nada bem. É muito temeroso e os comunistas lutam, desde 1922, para se apropriarem do Estado brasileiro, com a criação do Partido Comunista Brasileiro, a infiltração de espiões checos aqui, tendo em 1964, os militares sido obrigados a ascender o poder para nos salvar.

A “redemocratização” com a anistia ampla, geral e irrestrita dada por Figueiredo aos comunistas foi um erro fenomenal, pois foi uma ação de mão única, os comunistas se apropriaram do Estado brasileiro e ainda por cima criaram indenizações fabulosas para as mentiras pregadas por eles durante o período militar, quebraram o país e estão aí fazendo ainda o que bem entendem.

 

            Henrique César Pinheiro

            Fortaleza, abril/2020

Comentários

Eliana Barros   - 07/04/2020

Maravilhoso.
Parabéns Poeta Henrique César

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 25Exibido 57 vezesFale com o autor