Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
146 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57774 )
Cartas ( 21192)
Contos (12698)
Cordel (10211)
Crônicas (22323)
Discursos (3143)
Ensaios - (9127)
Erótico (13427)
Frases (44588)
Humor (18711)
Infantil (3976)
Infanto Juvenil (2916)
Letras de Música (5481)
Peça de Teatro (1321)
Poesias (138422)
Redação (2956)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2413)
Textos Jurídicos (1930)
Textos Religiosos/Sermões (5044)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->A VONTADE E O DESEJO -- 26/09/2003 - 10:02 (José de Sousa Dantas) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
A VONTADE dá e passa e o DESEJO se sacia

José de Sousa Dantas, em 26//06/2003



Desejo é força motriz,

fundamental, importante,

necessário, estimulante,

seguindo uma diretriz.

Já a vontade condiz

co’a consciência sadia,

mantendo a soberania,

num plano de DEUS, que grassa.

A vontade dá e passa

e o desejo se sacia.



O desejo é inconsciente,

inconstante e instintivo,

bom, vibrante e impulsivo.;

já a vontade é inteligente,

pura, firme e permanente,

desenvolve, traz e cria,

mostra a forma, a sintonia,

com a luz que se entrelaça.

A vontade dá e passa

e o desejo se sacia.



Nota-se que a vontade

é coerente e nativa,

moderada, objetiva,

tem mais sensibilidade,

principio de qualidade,

de alta filosofia,

consciência e harmonia,

que o mundo lhe congraça.

A vontade dá e passa

e o desejo se sacia.



A vontade é poderosa,

resistente e natural,

é pedra filosofal,

verdadeira e preciosa,

abundante e gloriosa,

buscada pela alquimia,

numa perfeita harmonia,

que nunca se despedaça.

A vontade dá e passa

e o desejo se sacia.



Um desejo satisfeito,

já não é tão atraente,

quanto inicialmente,

visto não está sujeito

a forte pressão do peito,

que no início existia,

fica num banho-maria,

liberado da arruaça.

A vontade dá e passa

e o desejo se sacia.



Quanto menos consentido,

torna-se mais desejado,

o pouco fica aumentado

e o muito mais reduzido,

cada um é atraído

por desejo em demasia,

por dentro não se esvazia,

continua com pirraça.

A vontade dá e passa

e o desejo se sacia.



O homem deseja muito,

mesmo que precise pouco,

mas se o desejo for louco,

pra vencer não é gratuito,

só quando atinge o intuito,

a tentação alivia,

como sendo anestesia,

que depois se desembaça.

A vontade dá e passa

e o desejo se sacia.



Desejo é ansiedade,

movido por sobressalto,

paga-se um preço alto,

pois desrespeita a vontade,

sem responsabilidade,

no mundo da fantasia,

sem ter maior garantia,

no fim, às vezes fracassa.

A vontade dá e passa

e o desejo se sacia.



Uns acham que o desejo

é equivalente à vontade,

só existe a igualdade,

no alimentar do beijo,

desejo é como lampejo,

que chega com euforia,

provoca uma estripulia,

sem medição da cachaça.

A vontade dá e passa

e o desejo se sacia.



O desejo é provocado

visando à satisfação,

pode ter repercussão,

que não dê bom resultado,

quem fica prejudicado,

na certa se contraria,

sem ter ideologia,

perde o sentido e fracassa.

A vontade dá e passa

e o desejo se sacia.



Interesse é de ter poder,

de político e de partido,

a vontade é de sentido,

mas desejo é de prazer,

de fazer acontecer,

um do outro se desvia,

desejo vira mania,

dá sinal pra que se faça.

A vontade dá e passa

e o desejo se sacia.



Todo desejo é potente,

desrespeitando a vontade,

aumentando ansiedade,

sendo desobediente,

não há homem que agüente,

continua a teimosia,

é marcante, não adia,

só se acaba com a graça.

A vontade dá e passa

e o desejo se sacia.



O desejo martiriza,

é feroz e violento,

aparece de momento,

não faz planos, nem avisa,

é próprio de quem precisa,

num estado de euforia

só vai sentir alegria,

depois que desembaraça.

A vontade dá e passa

e o desejo se sacia.



A vontade todos temos,

depende da circunstância,

mas nós temos substância,

do controle que mantemos,

aplicamos e contemos,

e a vontade alivia,

para nossa garantia,

evitando uma desgraça.

A vontade dá e passa

e o desejo se sacia.



Fazendo a comparação

entre desejo e vontade,

este na realidade

tem outra conotação,

o desejo é impulsão,

tão forte que dá agonia,

perpetua e contagia,

pois da vontade ultrapassa.

A vontade dá e passa

e o desejo se sacia.



A medida de uma alma

é a dimensão do desejo,

que recebendo um lampejo,

com satisfação acalma,

com o tempo se espalma,

à luz da sabedoria,

da arte e da maestria,

num coração que se enlaça.

A vontade dá e passa

e o desejo se sacia.



Existe uma sutileza

entre o desejo e a vontade,

a vontade, na verdade,

vem da alma com certeza.;

o desejo é chama acesa,

vem de fora, o homem cria,

vontade é sabedoria,

disciplina que engraça.

A vontade dá e passa

e o desejo se sacia.



Percebe-se que a vontade

é soberana e vital,

é a razão cardeal

de superioridade.;

é zelo, é necessidade,

é esperança, energia,

sagrada sabedoria,

mantém e não se devassa.

A vontade dá e passa

e o desejo se sacia.



Um ditado popular,

desejo e satisfação,

raro de acordo estão,

o primeiro é esperar,

o segundo é salutar -

de solução e harmonia,

o primeiro é rebeldia,

persiste e não se amordaça.

A vontade dá e passa

e o desejo se sacia.



Um Desejo é não dizer,

mas insistir, provocar,

querer, impulsionar,

continuar e crescer,

com vista a satisfazer,

com garra e com galhardia,

um amor que se aprecia,

gostoso, vibrante e massa.

A VONTADE DÁ E PASSA

E O DESEJO SE SACIA.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 69Exibido 502 vezesFale com o autor