Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
77 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57086 )
Cartas ( 21170)
Contos (12604)
Cordel (10090)
Crônicas (22209)
Discursos (3136)
Ensaios - (9013)
Erótico (13401)
Frases (43722)
Humor (18474)
Infantil (3784)
Infanto Juvenil (2709)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138292)
Redação (2926)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4882)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->Instantes -- 27/11/2019 - 15:18 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Instantes

Prefiro ver o tempo que não ver a ninguém. Ele transcorre e em perpétuo socorro a si, socorre fazendo trajetos e histórias. Sou elemento instante no fulgaz momento do ardido ferimento causado na trajetória dos instantes íntimos e ínfimos aos olhos que visam umbigos. Sou olhos que saltam além da órbita para enxergar quem está nos instantes. Estou sem ser instante do tempo, pois o tempo é o instante acumulador de sua própria era. Instantes são ficções marcados pelos ponteiros nos tics tacs da espera. O instante nada diz, seu parlatório é o barulho dos ponteiros que marcam o transcorrido tempo, tempo, tempo....
Não sei o que me espera, pois eu sou a espera numa esfera que revela ao mundo, um passado e um presente computados pelo Deus Tempo. Vou seguindo, vou olhando, vou sem ir. Não me mexo. Apenas observo que vários instantes são fulgazes e não interessam à história dos deuses. Instantes são mitos que criamos para mitigar o fulgaz e dele fazer uma presença ausente. Os instantes pertencem ao tempo, irmão sol, irmã lua, na beira da Lagoa a lavar todos os meus instantes que vivi na aurora boreal onde desenhei sonhos marginais. Sou marginal a margem do instante tempo, o senhor de tudo e dono de nada. Peguei a bolsa e bati meus pés ao chão, mas a poeira por ser instante, solidificou à margem de um tempo instante que acompanhou o passo dos ponteiros. Não havia farol, salvo uma estrela guia que me ajudou a transcorrer ao tempo nos seus instantes.


Marcos Palmeira 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui