Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
85 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57550 )
Cartas ( 21185)
Contos (12637)
Cordel (10186)
Crônicas (22292)
Discursos (3141)
Ensaios - (9093)
Erótico (13416)
Frases (44326)
Humor (18630)
Infantil (3915)
Infanto Juvenil (2861)
Letras de Música (5480)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138276)
Redação (2948)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4994)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->Lula, o Poeta de Palamares -- 02/03/2019 - 17:44 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Lula poeta dos Palmares

O poema tem certidão de nascimento registrado num cartório de uma cidade cheia de palma, que mata a sede de todas as bicharadas que celebravam o carnaval. Depois de tomar umas no alto meretrício da cidade, decidiu entrar na moda e se auto proclamar presidente do Brasil. E assim, ganhou a faixa com as honras de chefe de Estado. Começou a viajar pelos quatro cantos do mundo de Norte a Sul e de Leste a Oeste no país onde o Nordeste resistente. Sentiu que após alguns goles, ouviu as cornetas a gritarem “Lula, o Nito dos Quilombos!” Sentado na cadeira de uma academia de levantar copos, começou a elaborar um projeto de reforma da poesia de Palmares e deliberou um conselho para auxiliá-lo nas decisões métricas dos poemas, sonetos, duetos, e Afrodites. Desceu carregado pelos auto proclamados eleitores que decidiram ser ele o representante do poeta do Quilombo, no alto e no baixo, subindo e descendo a ladeira, à procura de Jenifer, a musa do Quilombo. Mas apesar dos goles, a faixa ali continuava intacta a qualquer golpe. 

Mas, Dorus apresenta Ciça gorda como senadora e diz: “não gritem! Não mordam, votem em Ciça gorda!”

E aí a situação fica um pouco embaraçosa para quem após algumas goladas, se proclamou presidente com dente quebrado por conta de errar o copo na boca. O que não deixou o Nito preocupado pela falta de um dente, pois tratava-se de um banho de fantasia em homenagem aos adeptos de confetes e serpentinas. Quanto à água, esse seria o banho final com direito ao sabão em pó para passar a limpo a história de Palmare

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui