Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
232 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57963 )
Cartas ( 21205)
Contos (12824)
Cordel (10234)
Crônicas (22053)
Discursos (3145)
Ensaios - (9195)
Erótico (13451)
Frases (45048)
Humor (18888)
Infantil (4095)
Infanto Juvenil (3134)
Letras de Música (5498)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138526)
Redação (2986)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2416)
Textos Jurídicos (1932)
Textos Religiosos/Sermões (5196)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->AS ÁGUAS TAMBÉM SENTEM (Paulo Nunes) -- 04/08/2004 - 17:45 (José de Sousa Dantas) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
AS ÁGUAS TAMBÉM SENTEM
Paulo Nunes Batista

A mansa humildade das ÁGUAS
matando a sede das plantas, dos bichos, das gentes,
a cariciosa suavidade das ÁGUAS
lavando, limpando os corpos, alegrando a vida,
a bondosa beleza das ÁGUAS
cozinhando os nossos alimentos e abençoando
a terra com a dádiva divina das chuvas.

Mas a ingrata estupidez humana polui as ÁGUAS,
atirando-lhes restos, detritos, porcarias,
impedindo-as de correr como o sangue da Terra,
para purificar o solo que é de todos
e garantir a Fartura que DEUS para todos manda.

E então as ÁGUAS, justamente revoltadas,
enlouquecidas com a ação nefasta dos seres humanos,
transbordam rios e lagos, alagam cidades,
inconformadas com a loucura que cria a Miséria
e destroem, e arrasam, e mostram a Dor da NATUREZA,
ofendida, vilipendiada, emporcalhada pelos homens,
que deveriam amá-la, defendê-la, conservá-la.

As ÁGUAS TAMBÉM SENTEM, protestam
e castigam os que as sujam com lixo e imundícies,
esquecidos de todos os benefícios e bondades
com que o Magnífico e onipotente DEUS nos brinda,
pelas mãos benfazejas e amorosas das ÁGUAS.

Olha, animal pensante, bípede que te dizes inteligente
e vê que tu és ÁGUA, líquida e feita desde as tuas raízes
e não podes viver, sobreviver sem essa Irmã amada,
que prendes para apodrecer e apodreces para matar.

Anda, homem mau e pervertido,
pede perdão às ÁGUAS e nunca mais permitas
que as ÁGUAS sequem, desapareçam ou tornem o mundo imundo,
não como nosso Pai o fez, mas como tu o desfizeste
com tua Ignorância, Ambição e Egoísmo,
destruindo as Obras e monstruosamente implantando o inferno,
onde o Creador havia plantado um jardim maravilhoso,
para servir e beneficiar a todas as Suas Creaturas,
pelos séculos dos séculos infinitos, amém.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui