Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
15 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57535 )
Cartas ( 21185)
Contos (12631)
Cordel (10185)
Crônicas (22291)
Discursos (3141)
Ensaios - (9093)
Erótico (13416)
Frases (44315)
Humor (18629)
Infantil (3912)
Infanto Juvenil (2858)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138263)
Redação (2948)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2412)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4990)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->A inveja da cachaça do outro -- 23/01/2019 - 03:58 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
A inveja da pinga do outro



Juvêncio tinha certeza que a melhor pinga que havia na vila dos pescadores era a dele, pois por décadas todos os marisqueiros e pescadores vinham sempre ao seu bar, provar dela. Com o progresso, o mar foi sofrendo assoreamento e com isso, todos os imóveis à beira do mar, foram destruídos pela rebeldia da natureza numa época de lua cheia, atingindo inclusive o bar de Juvêncio que, olhando para o que havia sobrado, viu que ali estavam as garrafas da melhor safra local. Decidiu então, ir na cidade vender o que sobrara da ressaca do mar. Mal sabia ele, que havia na cidade um sujeito chamado Boaventura que também era afiado no ramo da cachaça e assim percebeu que a sua relíquia não era tão conhecida na cidade tanto quanto à do concorrente. Com uma corrente e cheio das pingas que sobraram, meteu-se afoito e cheio da autoridade para tomar satisfação do outro que julgara ter “tomado” sua clientela. Seguiu o cidadão e até certa altura, quebrou uma das garrafas de pinga e enfiou no bucho do outro que, atordoado caiu ao chão. A população correu para ver feito urubus policiais, o fato ocorrido. Não deu outra, Juvêncio foi contido pela população que o entregou ao delegado da cidade. Já no xadrez e passado o efeito da cachaça tomou um gole agora da consciência da mazela e consequência que teria que assumir dali em diante, ou seja, ficar na cadeia por pura inveja da cachaça do outro. Pergunta que não cala: VALE A PENA SER INVEJOSO?
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui