Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
92 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57502 )
Cartas ( 21184)
Contos (12607)
Cordel (10175)
Crônicas (22280)
Discursos (3141)
Ensaios - (9088)
Erótico (13415)
Frases (44274)
Humor (18616)
Infantil (3901)
Infanto Juvenil (2847)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138230)
Redação (2946)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2411)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4980)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->O choro -- 08/01/2019 - 06:13 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
O choro





Chorei o choro do artesão e fui ao mar, reverenciar seu sepulcro. Não consegui escrever na lápide algo que sintonizasse com as obras de suas mãos, entretanto consegui visualizar que dali em diante seria ele e o mar de todas as alforrias com as cartas navegando sutilmente na superfície de águas claras e cristalinas que logo revelaram uma mancha vermelha. Nada mais era o altar sagrado lançado ao mar com todas as deusas encarnadas, com peles aveludadas resultantes do spa ofertado pelo amor. O artesão de sonhos e ilusões femininos, lá ficou a admirar a marolas produzidas pelo som do encantamento que o profissional das artes provocava nas deusas belas, sinistras e cheias de riqueza que faziam o mar navegar em ouro de tolo nas tolices de acreditar que a vida é bela para quem tem. Para quem é, apenas deixou um sumiço e nele, um espaço vazio pois o ser é etéreo e as portas só abrem àquele que tem presença promissora diante do altar ornado de futilidades.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui