Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
90 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57502 )
Cartas ( 21184)
Contos (12607)
Cordel (10175)
Crônicas (22280)
Discursos (3141)
Ensaios - (9088)
Erótico (13415)
Frases (44274)
Humor (18616)
Infantil (3901)
Infanto Juvenil (2847)
Letras de Música (5479)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138230)
Redação (2946)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2411)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4980)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->Ressurgido das cinzas -- 10/12/2018 - 09:38 (Padre Bidião) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Ressurgido das cinzas





Certa vez, coloquei a batina no cabide e resolvi sair à paisana. Queria justamente olhar as pessoas à volta e observar como elas conseguem ver através das roupas, a tonalidade momentânea da moral e dos bons costumes. Percebi que o preto da batina as impedia de reverlar-se a si pois pensavam estar diante de um tribunal de júri. Então, mansamente elas se apresentavam como guardiãs do livro dos escribas. Não fui notado e por uns poucos, fui visto com certo olhar de observatório pupilar com questões em incubação. Por hora, algumas olhavam, outras acenavam e algumas até se aproximavam sem receio do julgamento que a cor preta lhes imperava no juízo abstraído dos ensinamentos farisaicos. Retornei à casa paroquial e me vi ante o espelho com a batina em algodão flexível, e notei que a cor preta não ajuizava nenhuma sentença. O reflexo do olhar ao espelho, retornava à cor quase a pedir uma autoridade presumida. As demais cores assistiam a apresentação da cor sóbria silenciosamente numa plateia colorida onde as falas representavam os pensamentos sem qualquer ruído. Atentei a todas elas e não obtive a resposta que desejava. O desejo ao sacro ficou nas nuances das cores que, harmoniosamente pintavam os céus no ponto de encontro entre a guerra e a paz.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui