Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
47 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59136 )

Cartas ( 21236)

Contos (13103)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46519)

Humor (19281)

Infantil (4461)

Infanto Juvenil (3729)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138237)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5525)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Letras_de_Música-->NOS TEMPOS DE MENINO (Autoria Maciel Melo) -- 17/04/2016 - 10:11 (benedito morais de carvalho(benê)) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.
Era o caminho da roça
E a pureza de Maria
A folha verde no mato
A chuva quando caia
"Passarim" rio regato
E natureza sorria.
 
Era o beijo que eu cultivava
A vida que eu bem queria
Do jeito que eu sonhava
Realmente acontecia
Queria um fruto eu plantava
Vingava o fruto eu comia
 
Da morte eu não tinha medo
A morte eu não conhecia
Não tinha nenhum segredo
Andar no mato sem guia
Nunca era tarde nem cedo
Meia-noite ou meio-dia
 
Fui menino mais que sete
Ou dezessete léguas e meia
Menino fui cacetete
Menino fogo nas veias
Bola de gude, pivete
Menino bola de meia
 
Fui menino meia-noite
Menino fui meio-dia
Menino vento de açoite
Fui o ventre da folia
Menino trovão da noite
Fui chuva, fui invernia
 
Fui menino pistoleiro
Menino caramanchão
Menino fui sapateiro
Menino carro de mão
Menino fui cangaceiro
Menino fui lampião
 
Menino, também menino fui
E o tempo deu-me a alma sua
Deu-me batente de bares
Deu-me vida nua e crua
Becos e esquinas meus lares
Moleque ponta de rua
 
Autoria: Maciel Melo
 
Maciel Melo nasceu na pequena Iguaraci, cidade do sertão pernambucano, a 363 Km do Recife. O pai tocador de sanfona ensinou-lhe desde cedo que o autêntico forró pé-de-serra não se limita a sanfona, zabumba e triângulo. Vale utilizar também o violão, cavaquinho, banjo e até guitarra elétrica. Hoje é uma referência para onde se voltam tantos cantores do gênero que vivem na região ou os que emigraram para o sudeste: Fagner, Zé Ramalho, Elba Ramalho, Alceu Valença.
 
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 49Exibido 247 vezesFale com o autor