Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
239 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58157 )
Cartas ( 21211)
Contos (12857)
Cordel (10239)
Crônicas (22094)
Discursos (3147)
Ensaios - (9229)
Erótico (13452)
Frases (45305)
Humor (18938)
Infantil (4161)
Infanto Juvenil (3234)
Letras de Música (5506)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138720)
Redação (2996)
Roteiro de Filme ou Novela (1058)
Teses / Monologos (2418)
Textos Jurídicos (1934)
Textos Religiosos/Sermões (5253)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->HOMERO, IMAGENS DO SOL POENTE -- 21/08/2017 - 17:27 (Francisco Miguel de Moura) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

Francisco Miguel de Moura*  

 

N          Não vou escrever aqui uma crítica ao livro “Imagem do Sol Poente”, de Homero Castelo Branco, nem uma biografia do autor. Conheço Homero desde o tempo em que eu e o O. G. Rego de Carvalho morávamos na Rua 13 de Maio, no quarteirão correspondente ao Colégio Estadual do Piauí (mais conhecido por Liceu Piauiense), enquanto ele frequentava a casa de seu tio Geraldo Castelo Branco, conhecido por Geraldão, o dono da Loteria Estadual, cuja residência era vizinha à minha. Aliás, o próprio Homero escreveu que chegou em Teresina, em janeiro de 1968.

Depois no período de 1975 a 1979, elegeu-se Deputado Federal. Do fim do séc. XX ao começo do novo século – 1996 a 2007 novamente voltar a ocupar uma cadeira na Assembleia Legislativa. Teve uma atuação política tranquila, de acordo com a sua personalidade de homem que sempre positivamente vê a vida, os parentes, amigos e conhecidos. De família tradicional, muitos já ocuparam uma cadeira na Academia de Letras, ele ia devagar e sempre escrevendo seus artigos e publicando livro sobre a história da vida e das pessoas de Amarante, PI, onde nasceu aos 3 de abril de 1944. Estudou e formou-se em Economia pela Universidade Federal do Ceará. Escreveu outros livros, entre os quais “O Escritor”, uma espécie de romance bem diferente, mas no mesmo estilo memorialístico

Mas Homero Castelo Branco nunca quis fazer praça de escritor, o que fez são memórias ou quase memórias, como este que estamos registrando, muito gostoso de ler. Dizer gostoso é pouco: muito bem escrito e apoiado na memória de sua vida – a maior parte nesta “Cidade Verde”, que acaba de completar 165 anos. Ele, o acadêmico e escritor, preparou o livro, entre outras coisas importantes como a festa para reunir a família, os parentes e os amigos, em chegando os 72 anos, uma idade ainda viva para escrever e oferecer tão bem. É preciso que se veja a forma e o conteúdo, donde se tira a sinceridade, de como ele oferece o livro, avaliando pelo exemplar que me enviou em nome dele e de sua mulher, Dona Hilma Castelo Branco: “Amigos Mécia e Chico Miguel, com carinho e admiração” - oferta escrita à mão, ao alto de uma declaração que é um exemplo de cortesia e bondade e finesse: Há pessoa que coleciona carro antigo, livro, caneta, relógio, vinho, obra de arte… Eu coleciono amigo e quero que você faça parte desta minha seleta coleção. Afetuoso abraço – Homero Castelo Branco. Out. 2016”.

Dá gosto ler “Imagem do sol poente”. Notei que a leitura desse livro é um exercício muito bom para o coração, para a saúde tanto de quem escreveu quanto dos seus leitores. Não serão muitos, por enquanto, pois como ele confessa não é escritor profissional e o fez foi para oferecer aos amigos, que por serem tantos, torna-se muito difícil distribuí-lo sem uma ajuda da mídia – coisa que ele não fez e tudo indica que não vai fazer.

No livro não há página melhor, todos os capítulos são ótimos, cheios de ensinamentos filosóficos sobre a vida humana especialmente da fase da madureza para a velhice. Ensinamentos sobre a vida de quem está vivendo, de quem viveu e de quem espera viver muito mais, pois é uma obra positiva, quer no conjunto, quer nas partes, quer no conteúdo quer no estilo. É realmente a maturidade do intelectual Homero Ferreira Castelo Branco Neto, que não é só autor de bons livros, mas também de dono de conversa agradável, cheia de casos e pessoas diferentes e por isto interessantes. Homero nunca está triste, pelo menos nunca o vi assim.

Aqui, de raspão, só para não ficar nas minhas palavras, depois de dizer que eu chamo de imagens, logo no plural, que é mais do está no título, porque eu senti uma cachoeira despencando-se aos meus olhos, enquanto lia, e meu pensamento de vez quando parava e imaginava como pôde em apenas 298 páginas colocar tanto, de forma tão clara e tão suave para ler-se, embora nem sempre trate de suavidades. Trata da vida, positivamente, como já disse. E assim cada dia é um novo dia a ser explorado e recriado pelas almas em conflito, mas confiantes no bem, no amor e no próximo.

Algumas frases dele que sublinhei e trago para meus leitores:

“Não quero mais convencer ninguém a nada. Quero aprender, cada vez mais, a escutar melhor as pessoas e ter tempo para cantar a família, os amigos, ficar em casa lendo e anotando. Está aí o prêmio que me dou por não jogar fora bem tão precioso: o tempo...

“Pelo amor viveremos, mesmo depois de morto... Cada texto literário é um pedido de hipoteca de um pedaço do tempo e do amor de seus possíveis leitores… Até parece que em minha juventude as árvores e as flores tinham mais perfume do que hoje… É incrível, precisa -se ficar idoso e cansado para obter esse privilégio… A idade traz benefício e liberdade. Às vezes tocamos o contrário. Descobrimos que absolutamente nada é definitivo, inclusive a vida. Compreendemos a inutilidade do orgulho, a tolice da disputa, a estupidez da ganância e a inconveniência de tolas mágoas.”

Mas nem só de frases e pensamentos é feito o “IMAGEM DO SOL POENTE”, de Homero Castelo Branco Neto. O livro pede que seja lido integralmente. E até relido, com prazer e alegria. Não é só romance, não são só crônicas nem memórias: E tudo isto e mais: é a vida.

____________________

*Escritor, membro da Academia Piauiense de Letras.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui