Usina de Letras
Usina de Letras
39 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62422 )

Cartas ( 21335)

Contos (13272)

Cordel (10452)

Cronicas (22547)

Discursos (3240)

Ensaios - (10460)

Erótico (13578)

Frases (50823)

Humor (20078)

Infantil (5493)

Infanto Juvenil (4817)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1377)

Poesias (140878)

Redação (3322)

Roteiro de Filme ou Novela (1064)

Teses / Monologos (2437)

Textos Jurídicos (1962)

Textos Religiosos/Sermões (6241)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cordel-->DAS TRIPAS POESIA -- 11/06/2004 - 16:47 (ASCHELMINTO da SILVA) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Lá de dentro, de suas tripas,
Um urro, um brado, uma algazarra,
Um verme quer te tragar.
Eu, verme, lombriga, escondido,
Arrasto-me pela vida até a saída,
E a saída é também a morte,
Na latrina, depois do cu.
Cu, portal da transcendência,
Indescência que excrementa vidas.
Dessas tripas, feitas útero,
Muitas vidas são arremetidas
Para o nada, e uma carnificina,
Uma lombrificina se desenrola.
Lombrigocídio.
Lá de fora das barrigas oblongas,
Uma vida obtusa me desconhece
Até o resultado do exame de fezes.
A decisão está tomada, não tem volta,
A pena de morte decretada,
A lombriga excretada,
Inteira ou aos pedaços, que terrível,
Meus filhos larvais, lá vão eles
Para o grande mar redemoinho - latrina.
A vida é uma merda!
A merda é uma vida!
Sou porta-voz dos que te habitam,
Sou a voz que vem de teu rabo
Para te conscientizar da coisa toda:
Um dia nóis te come.
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui