Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
228 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59135 )

Cartas ( 21236)

Contos (13102)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9439)

Erótico (13481)

Frases (46519)

Humor (19281)

Infantil (4461)

Infanto Juvenil (3729)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138237)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5525)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->A DIGNIDADE HUMANA DO PRESO (02) -- 22/04/2017 - 10:24 (benedito morais de carvalho(benê)) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.

Mesmo estando privado de liberdade o preso tem ainda direito a um tratamento humano, sem sofrer violência física ou moral, basta qualquer sádico idiota consultar o Art 5 da Constituição Federal, está lá escrito no seu parágrafo III- NINGUÉM SERÁ SUBMETIDO A TORTURA NEM A TRATAMENTO DESUMANO OU DEGRADANTE.


O poder público abandonou o sistema penitenciário porque os governantes acham que nele investir não dá votos, preferem aumentar o número de detenções, para satisfazer à opinião pública, que anda alarmada com o aumento da criminalidade. Jogar todo preso no mesmo balaio de gato, independente do crime que cometeu para mostrar serviço a uma sociedade em pânico, é uma grande burrice.


O Judiciário omisso também tem a sua parcela de culpa, pois é sabido que boa parte da população carcerária é formada por presos há muito tempo sem julgamento ou com penas já cumpridas e ficam esquecidos, jogados como ratos em prisões fétidas, sujas e superlotadas.


O Brasil investiga pouco e prende muito, prende por delitos pequenos, como o furto de um tênis, furto de uma galinha. Esse delinquente de 20 e poucos anos, mulato, pobre e favelado, muitas vezes portando uma arma de brinquedo, é jogado no meio das feras de alta periculosidade como estupradores, traficantes e matadores contumazes.


O Brasil ostenta hoje o patamar da quarta maior população de presos do mundo e é o campeão de prisões de acusados sem condenação. Muitas dessas prisões são ilegais, porque a Justiça cega e surda não tem pressa em julgar o mulato pobre e favelado, é preferível deixar ele mofando na prisão, esquecendo que o sujeito deixa uma familia desestruturada, passando necessidade do lado de fora do portão.


A apresentação do preso em Juizo logo após a sua detenção é medida fundamental para coibir a tortura e os maus-tratos por parte de agentes penitenciários truculentos, extorquidores e desumanos. Retirar da prisão com penas alternativas quem lá não deveria estar, significa reduzir a criminalidade e evitar que as facções criminosas formadas por bandidos profissionais adotem esse delinquente amador, pé de chinelo, muitas vezes dependente químico; que está alí porque na sua babaquice ficou deslumbrado com o celular de ponta e com o tênis de de grife que viu na TV, e para impressionar a mina, o babaca noiado descola uma arma de brinquedo, desce o morro e vai "causar" no asfalto.


Fosse o Brasil um país sério, onde todos fossem julgados imparcialmente e condenados sem distinção de cor e poder aquisitvo e todo preso depois de julgado e condenado tivesse o mesmo tratamento digno, como reza na Constituição, os presidios deixariam de gerar verdadeiros animais cruéis, perversos, sanguinários, responsáveis por tragédias como essas de Manaus e Roraima estampadas nas manchetes dos principais jornais: "VÍTIMAS FORAM DECAPITADAS, ESQUARTEJADAS E TIVERAM CORAÇÕES ARRANCADOS".


Quem enjaulou e alimentou esse homem sem o mínimo de dignidade e que depois o transformou nessa BESTA FERA, fria, cruel e sanguinária, foi a mesma sociedade omissa e hipócrita que o gerou.


Excluindo o presidio hotel que aloja, abriga, os presos brancos, ricos, ladrões e corruptos, onde todos se dizem "inocentes" e "vitimas" da lava jato, o país tem centenas de presidios pessimamente administrados e deve haver dezenas de mortes diárias, não divulgadas, pois faz parte do varejo do crime organizado.


Para manter esse preso pobre numa jaula imprópria para qualquer espécie animal, ele custa R$-3.700.00 por mês ao Estado para viver amontoado nessa JAULATRINA mofada, fedendo a mijo e excrementos, vasos sanitários sem descargas, dormindo em pé ou sentado, banhos gelados, convivendo com ratos, moscas e baratas, alimentação vencida e com fezes de ratos, muitos deles tuberculosos, sem atendimento médico e remédios.


Quando acontece um massacre aí vira notícia, a sociedade hipócrita fica chocada. A situação dos presídios sempre foi uma calamidade, mas não é noticia, não mobilizada as redes sociais, sindicados, não sensibiliza a Justiça, a mídia, as igrejas, todos vêem mas não exergam nada, e quando enxergam, se escondem. Só nos resta aguardar a próxima tragédia.


 


 
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do AutorSeguidores: 49Exibido 329 vezesFale com o autor