Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
59 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57118 )
Cartas ( 21170)
Contos (12604)
Cordel (10093)
Crônicas (22215)
Discursos (3137)
Ensaios - (9018)
Erótico (13404)
Frases (43787)
Humor (18497)
Infantil (3795)
Infanto Juvenil (2723)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138321)
Redação (2927)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2402)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4899)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->AVALANCHES DE SENTIMENTOS -- 06/09/2016 - 15:49 (valentina fraga) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Dias atrás, participei de um evento, e em um dos stands, existia uma rocha chamada avalanche. Seu desenho era exótico, misterioso, uma mescla de marrons, cinzas, acobreados e brancos, que realmente lembravam um grande monte de gelo a mover-se.

Aquilo trazia ideia de movimento, e mexia com meu estômago e meus nervos, de uma forma intrigante.

Ontem me senti da mesma forma, quando fui respondida em uma solicitação de amizade que fiz a um ano atrás, exatamente.

Aquela pessoa, representou imensamente em meu passado, e me fazia borbulhar por dentro, e me cativava, e ao mesmo tempo me consumia.

É óbvio que o objetivo, não era outro, senão o retorno de algo que jamais voltaria, afinal, vasos de cristal quando se quebram, não aceitam reparo.

É claro que quando um homem procura uma mulher, dizendo em cada 10 palavras, que sente muita saudade, que morre de saudade, que sente falta, não precisa dizer muito mais, é só dar linha na pipa, ou como diz a plebe, dar condição, que a coisa volta a rolar, ou por sentimentos guardados e protegidos, ou por mera sacanagem mesmo, afinal, somos feitos de carne e osso, e como a carne ganha em percentual, quase sempre é ela quem domina.

Mas, existem quebras irreparáveis, momentos que não voltam, sentimentos que não se reparam. É um emaranhado muito louco pra se dominar racionalmente.

Voltar no passado não é fácil. As condições não são as mesmas, as idades não são as mesmas, e porque não dizer, os desejos, nem de longe se parecem com os do passado.

E assim vamos caminhando, sem dizer sim ao subliminarmente proposto, ou fingir-se de morta, aos apelos não pouco contundentes.

Isso faz parte da vida, e como todo o resto, precisamos lidar.

As avalanches são contínuas, diárias ou não, até que venha

o último suspiro. Nesse momento, todos os montes sossegam, todos os tsunamis interiores cessam, tudo acaba.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui