Usina de Letras
Usina de Letras
81 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 62145 )

Cartas ( 21334)

Contos (13260)

Cordel (10448)

Cronicas (22529)

Discursos (3238)

Ensaios - (10339)

Erótico (13566)

Frases (50551)

Humor (20021)

Infantil (5418)

Infanto Juvenil (4750)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1376)

Poesias (140784)

Redação (3301)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1958)

Textos Religiosos/Sermões (6175)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Poesias-->PERDIDA -- 13/06/2003 - 09:27 (ALEXANDRA APARECIDA JAHNEL PASCOAL) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
PERDIDA



Me perdi na dimensão do tempo,

jamais novamente encontrarei minha alma.;

alma de fada, corpo de mulher, eu desejo.;

sou o desejo, beijo o vento,

quero o mundo na mão, na minha palma.



Sou brisa que anuncia tempestade,

sou só um pequeno verão e uma imensa tarde,

sou um filha do medo e irmã da vaidade.;

somente para mim quardo do universo a verdade.



E a chuva não tarda e em torrente cai,

lavando os pecados do mundo,

afogando os imundos,

matando os impuros,

e com a água o sonho também se vai.



Eu continuo meu caminho, só e dividida.;

minha alma ao leste está adormecida,

meu corpo, ao sul, é de uma mulher ferida,

ao oeste, minha mente insana jaz perdida

coração, ao norte, incapaz de emoção desmedida.



Restaurei minha memória de vidas passadas,

me ví mirando o mar em enseadas enluaradas,

não me apavorei em meio a mães desesperadas,

usei um colar com mil e uma flores enfeitiçadas,

mas nem todas as mágoas estão mortas e enterradas.



Ainda choro com as mesmas lágrimas de dantes,

sofrendo a perda de imensos amores e amantes,

é o mesmo pranto correndo em diferentes faces,

o mesmo veneno bebido em diversos cálices.



Bebo e sorvo, de vidas diversas, todo o veneno,

meu riso cálido se extingue a cada novo começo,

que quanto mais sofro, mais morro, mais pereço,

mais certeza tenho que a esse lugar não pertenço.





XANTRA LENHAJ

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui