Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
45 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57788 )
Cartas ( 21194)
Contos (12699)
Cordel (10214)
Crônicas (22324)
Discursos (3143)
Ensaios - (9130)
Erótico (13430)
Frases (44614)
Humor (18718)
Infantil (3977)
Infanto Juvenil (2918)
Letras de Música (5483)
Peça de Teatro (1321)
Poesias (138441)
Redação (2958)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2413)
Textos Jurídicos (1931)
Textos Religiosos/Sermões (5054)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Cordel-->O MEU SONHO DE CRIANÇA -- 26/03/2004 - 16:56 (José de Sousa Dantas) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
QUANDO EU ERA CRIANÇA IMAGINAVA

Quando eu era criança imaginava,
que crescendo de tudo iria ter
José de Sousa Dantas, em 26/03/2004

Eu criança, pensava desse jeito:
no futuro, depois de ser adulto,
deverei ser um homem muito culto,
elegante, instruído e satisfeito,
pois de tudo de bom vou ter direito,
estudar, ensinar e aprender,
trabalhar, progredir, enriquecer,
tudo isso na mente projetava.
Quando eu era criança imaginava,
que crescendo de tudo iria ter.

Eu pensava, vou ter uma fazenda,
numa área mais fértil no Estado,
com plantio, com criação de gado,
um pomar, uma casa, uma moenda,
uma empresa, uma escola e uma venda,
um hotel, uma área de lazer,
pra cantar, divertir e debater,
esse quadro ideal eu desenhava.
Quando eu era criança imaginava,
que crescendo de tudo iria ter.

Eu pensava ter casa, apartamento,
granja, carro, terreno, uma quitanda,
uma casa de show e uma banda
de forró, pra brincar todo momento;
todo tempo fazer investimento,
ter dinheiro para desenvolver,
condições financeiras pra viver
liberal, sem ter uma vida escrava.
Quando eu era criança imaginava,
que crescendo de tudo iria ter.

Eu pensava ser grande fazendeiro,
empresário, poeta, professor,
presidente, juiz, embaixador,
cordelista, cantor e conselheiro,
general, comandante e engenheiro,
cineasta, eu pensava um dia ser,
um atleta que sempre ia vencer,
ser um grande, era tudo o que eu sonhava.
Quando eu era criança imaginava,
que crescendo de tudo iria ter.

Começava na minha mocidade,
trabalhando, ganhando e construindo,
desfrutando, crescendo e evoluindo,
conquistando uma deusa de beldade,
pra viver num mar de felicidade,
com saúde, com paz e com prazer,
tudo isso esperava acontecer,
esse sonho ideal me estimulava.
Quando eu era criança imaginava,
que crescendo de tudo iria ter.

Como eu era feliz e não sabia,
pois pensava que a prosperidade,
aumentava com a maioridade,
esse sonho era uma fantasia,
eu cantava, eu dançava e eu sorria,
não faltava no que me espairecer,
de jogar, de pular e de correr,
mas querer ser adulto, eu desejava.
Quando eu era criança imaginava,
que crescendo de tudo iria ter.

Eu pensava no tempo de criança,
que o futuro seria colorido,
deslumbrante, sublime e garantido,
excelente e repleto de bonança,
de progresso, de paz e confiança,
não havia desordem e desprazer,
o amor sempre a prevalecer,
a riqueza maior se conquistava.
Quando eu era criança imaginava,
que crescendo de tudo iria ter.

Se estivesse enfrentando algum problema,
eu pensava, com fé e esperança,
deve haver no futuro uma mudança,
que me livre dos laços da algema
cultivando na mente esse meu lema,
na certeza de tudo resolver,
o amanhã esperava florescer,
com a luz divinal que iluminava.
Quando eu era criança imaginava,
que crescendo de tudo iria ter.

O que tanto constava no meu plano,
ao crescer, ia ter muito dinheiro,
passear, conhecer o mundo inteiro,
sendo bem sucedido, veterano,
com apoio de DEUS, o soberano,
semear, cultivar para colher
muitos frutos na vida, engrandecer,
isso o meu pensamento alucinava.
Quando eu era criança imaginava,
que crescendo de tudo iria ter.

Se hoje faço uma verificação,
eu constato que é outra realidade,
nem sequer consegui ter a metade
dos projetos da minha pretensão,
não passava de mera ilusão,
mas valeu no início perceber,
uma fase que não vou esquecer,
pois o meu coração se contentava.
Quando eu era criança imaginava,
que crescendo de tudo iria ter.

QUANDO EU ERA CRIANÇA IMAGINAVA,
que de tudo ia ter quando crescesse
José de Sousa Dantas, em 26/03/2004

Nesse tempo eu pensava muito grande,
esperava que o mundo fosse puro,
nas veredas traçadas pra o futuro,
é bem mais natural que o homem ande,
pela luz que no mundo se expande,
era grande demais meu interesse,
era justo, a visão que eu merecesse,
se eu pedisse a JESUS, Ele me dava.
Quando eu era criança imaginava,
que de tudo ia ter quando crescesse.

Eu queria bem muito namorar,
conquistar o amor de uma donzela,
boa, meiga, charmosa, doce e bela,
a mais nobre princesa do lugar,
eu com ela casar e caminhar,
todo tempo a meu lado e me aquecesse,
pra que nunca na vida lhe esquecesse,
essa LINDA MULHER, eu procurava.
Quando eu era criança imaginava,
que de tudo ia ter quando crescesse.

Projetava na mente um ideal,
conhecer outro canto diferente,
as belezas de todo continente,
toda a sua riqueza cultural,
um país totalmente oriental,
era muito legal que eu conhecesse,
lhe fizesse visita ou lá vivesse,
essa grande proeza me encantava.
Quando eu era criança imaginava,
que de tudo ia ter quando crescesse.

Eu sonhava com um mundo promissor,
cheio de esperança e alegria,
glória, compreensão e harmonia,
solidariedade, paz, amor,
sem maldade, sem guerra e sem terror,
nada de desumano acontecesse,
pois o mundo perverso igual a esse,
no meu belo porvir não esperava.
Quando eu era criança imaginava,
que de tudo ia ter quando crescesse.


Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 69Exibido 272 vezesFale com o autor