Usina de Letras
Usina de Letras
18 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61956 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22529)

Discursos (3235)

Ensaios - (10258)

Erótico (13560)

Frases (50363)

Humor (19994)

Infantil (5388)

Infanto Juvenil (4724)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140713)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6141)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Cronicas-->Brincadeira de Mamífero -- 14/10/2002 - 03:38 (alan, o Miranda) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
-Pára!

As cadelas mordem-lhe a perna.
Duas.
Na cama dele. Brincado.
Estão lá:
ele,
as duas quadrúpedes
e a amada.
A amada lê,
enquanto as cadelas mordem a si e aos dois,
eventualmente.

Ele tá meio que filosofando.
Sobre as caninas.
Mamíferos em geral, a bem dizer.
Fase darwinista, a dele.
A gente é animal? Não é?
Até que ponto é racional? Até onde não é?

ele:
- Não é engraçado? Os animais brincam para treinar, sabia? Elas pulam na cama, saltam, latem, uma merda...


A amada ou não ouviu,
ou não quis ouvir o comentário.
Continua lendo.

- Na brincadeira, treinam para algo que pode acontecer. Fingem que brigam, que perdem, que ganham, fingem para estarem bem preparadas na hora certa...

Legal esse pensamento,
ele acha.
Até aí tudo bem.
Tá indo bem.

Ele ainda:
- Mas no nosso caso? Por que a gente brinca?

Essas coisas não preocupam a amada.
Incrível!
Pode passar a noite nisso
e ela nem tchum!

- Por quê a música? Por que futebol? Por que Ubaldo Ribeiro?

Dessa vez ela ri.
Uma das cadelas morde a bunda dele.

- Pára! Mas por que vocês sempre brincam tanto de briga, heim?

Fazem ele de cachorro,
as cadelas,
e continuam a brincar.

- Se somos mamíferos, e somos programados para brincar na adolescência para saber lutar na fase adulta, o que acontece com as brincadeiras na fase adulta, já que a gente já cresceu? A gente continua brincando? Como?

Mundo cruel este
em que você tem na sua frente
o enigma de duas cadelas felizes
aliadas ao silêncio pseudo-sábio de uma amada.

- Agora que somos adultos, e não brincamos mais de pega-pega, e não corremos, e nem caímos, como é que a gente brinca espontaneamente hoje? Será que é bebendo? Comendo pizza...?

Cadelas e amada se juntam agora
e quase respondem à pergunta.
Mas não é todo mundo que tem cadelas.
E ainda mais que brinque com elas.
Fica calado vendo aquilo,
parado,
pensa,
pensa,
solta um peido,
pensa de novo.
Resolve a questão.
Olha pra ela ironicamente e diz:

- Você às vezes é chatinha, viu?
- Chatinha? Hum? Você que é abestahado.
- Abestalhada...
- Abestalhado...
- Otária...
- Corno...
- Tá vendo? Tá vendo? Viu o que támo fazendo?
- O quê?
- Brincando! É isso! A gente finge que briga o tempo todo! Para no dia que brigarmos estarmos preparados!

A amada ri e vai em sua direção.
Tá com cara de pena dele.

- É verdade! E é por isso que a gente gosta de novela! E de filmes! E de livros! Por que são formas evoluídas da antiga brincadeira de pega-pega! A gente finge! A gente finge por que é mamífero! A gente faz teatro por que é mamífero! A gente é animal mesmo! Brincamos o tempo todo! Preciso falar isso para alguém e...

A amada tapa-lhe a boca,
Tira a roupa
E as cadelas continuam brincando.

Alan, o Miranda.

----------------------------------------------------------
O autor: Alan Miranda tem 27 anos, é ator e professor teatral, atualmente integra a Companhia Baiana de Patifaria e é estudante de Artes Cênicas na Universidade Federal da Bahia.


Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui