Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
176 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58296 )
Cartas ( 21211)
Contos (12892)
Cordel (10242)
Crônicas (22116)
Discursos (3152)
Ensaios - (9262)
Erótico (13457)
Frases (45483)
Humor (18988)
Infantil (4216)
Infanto Juvenil (3309)
Letras de Música (5511)
Peça de Teatro (1329)
Poesias (138804)
Redação (3008)
Roteiro de Filme ou Novela (1059)
Teses / Monologos (2418)
Textos Jurídicos (1935)
Textos Religiosos/Sermões (5292)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Ensaios-->Madre Teresa de Calcutá -- 12/10/2020 - 10:06 (Brazílio) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos

 

 



Finda a sua gloriosa missão na face da Terra, Madre Teresa foi parar no Céu... e, para sua gratíssima surpresa, foi o próprio Criador que lhe abriu
o esplendoroso portal. Papo gostosíssimo, ameno, e de grande profundidade teológica.

A Madre não cabia em si de contentamento e mais do que isso, puro regozijo. Chegada a hora do almoço, sem quaisquer solenidades, o Pai chama um armário de puro ouro a si, cujas portas se abrem automaticamente e de lá Ele retira pães e atum enlatado. Prepara um sanduíche que oferece à Madre e faz outro para si.

Madre Teresa fica estarrecida de ver o despojamento do Pai e de tudo mais. Nada obstante, enquanto saboreia aquela iguaria, observa - afinal o Céu é o ponto mais elevado - com perfeita nitidez o que se passa nas profundezas do Universo, cercadas de labaredas formidáveis...e não leva tempo para deduzir que ali é o Inferno. E vê mais, ainda em maior estarrecimento que a farra come solta: caviar, ostras, sopa de barbatana de tubarão, champagne, lagostas em abundância, além de variadíssima oferta de sobremesa, com destaque para la crème brulée e baclavas...

E as audiências com o Pai se sucedem cada vez mais interessantes a cada dia que passa. Idem, para o ágape, invariável, de atum enlatado com a fatia de pão.

Um tanto curiosa, mas sempre respeitosa, a Madre, que agora já é Santa Teresa, resolve interpelar o Criador:

 - Onipotente, Onisciente e Onipresente, desculpai-me se vos sôo insolente, mas o quê levaria a essa aparente diferença entre os repastos servidos nestas Sumas Alturas, e os do iMundo profano...?

Ao que o Pai, com sua sapiência insofismável respondeu à Santa:

 - Eu já estive a pensar nisso, Filha diletíssima, contudo não lhe parece
que, além de sujar todo o vasilhame celestial, não seria uma perda de tempo irrecuperável cozinhar só para nós dois?

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 24Exibido 24 vezesFale com o autor