Usina de Letras
Usina de Letras
37 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59274 )

Cartas ( 21241)

Contos (13148)

Cordel (10297)

Crônicas (22219)

Discursos (3164)

Ensaios - (9463)

Erótico (13486)

Frases (46710)

Humor (19312)

Infantil (4487)

Infanto Juvenil (3784)

Letras de Música (5484)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138414)

Redação (3059)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5563)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->NEM AVANCAR... NEM RECUAR ! -- 24/03/2003 - 16:28 (Leinecy Pereira Dorneles) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Não posso mais...

Estou quebrada, estou arrasada,

Desde algum tempo,

Venho lutando para escapar,

Escapar à tentação que,

Ora discreta ...

Ora persuasiva, sensível ou sensual,

Dança em volta de mim,

Como em torno das barracas de feira,

A rapariga brejeira.





Não sei mais o que fazer,

Não sei mais onde ir,

Tu me espreitas,

Me acompanhas,

Tu me invades...





Fujo do meu quarto.; lá estás...

Recostado, a me esperar,

Na sala em que penetro,

Apanho um jornal,

E eis teu rosto,

Oculto nas palavras

De um artigo inofensivo ...





Saio, te encontro a sorrir

Por trás de um rosto desconhecido,

Volto às costas,

Olho a parede,

Tu surges de um cartaz...





Entro em casa para trabalhar,

Tu cochilas em meus livros e,

Ao pegar em meus papéis,

Eu te desperto ...





Desesperada,

Ponho a minha pobre cabeça

Entre as mãos,

Fecho os olhos ...

Para não ver mais nada.





Mas descubro-te mais vivo,

Mais vivo do que nunca,

Instalado em minha casa fechada,

Como se fosse ...

Tua própria casa.





Pois tu arrombaste minha porta.

Instalas-te em meu corpo,

Nas minhas veias,

Até as pontas de meus dedos ...

Cantas ao ouvido de minha imaginação,

Tocas meus nervos,

Como se fossem cordas de violão.





Já não sei mais a quantas ando.

Nem mesmo sei se desejo este pecado,

Que me acena...

Não sei mais se fujo dele,

Ou se o persigo.

Sou tomada de vertigens,

O vácuo me atrai,

Como atraí...

O imprudente alpinista

Que não pode mais,

NEM AVANÇAR ... NEM RECUAR...



LEINECY PEREIRA DORNELES - 24/03/2003
Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui