Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
128 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57362 )
Cartas ( 21181)
Contos (12599)
Cordel (10135)
Crônicas (22251)
Discursos (3139)
Ensaios - (9063)
Erótico (13414)
Frases (44116)
Humor (18580)
Infantil (3845)
Infanto Juvenil (2798)
Letras de Música (5476)
Peça de Teatro (1320)
Poesias (138534)
Redação (2942)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2408)
Textos Jurídicos (1926)
Textos Religiosos/Sermões (4942)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->Terrorismo da ganância estadunidense -- 10/09/2013 - 08:19 (Marcelo de Oliveira Souza,IWA Instagram:marceloescritor) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Terrorismo da ganância estadunidense





Depois da lei do terrorismo, aplicada pelos norte-americanos, eles resolveram investigar todas as mensagens que constam como conteúdo, o nome do país dele e palavras chaves, como essa do nosso enunciado.

A partir daí foi um passo para usar desculpas pífias para investigar outros países pelo mundo afora, o Brasil é um deles; fingindo-se de amigos, eles vão para reuniões sabendo de todas as propostas que serão abordadas nesses encontros, tendo muita vantagem nisso.

O governo estadunidense utiliza o clichê de ser perseguido no mundo inteiro, assim Obama age como seus antecessores, ameaçando, invadindo, destruindo e lucrando...

Sob desculpa de que as armas de destruição em massa só podem ficar na mão de um “grupinho”, os “xerifes” se reuniram e invadiram o Iraque, pressionam o Irã e a Coréia do Norte. Atacam sob qualquer argumento, mais onde o petróleo jorra, os argumentos jorram mais ainda.

Na guerra da Coréia, do Vietnã e no Iraque eles usavam armas de destruição de massa, utilizavam armas químicas e no último país, eles utilizavam armamentos ditos “aprovados” onde um míssil de grandes proporções saia de um de seus caças, ele se abria em pleno ar e despejava um monte de objetos similares a latinhas de refrigerante, ao chegarem no solo eles explodiam, os que não detonavam eram pegos por criancinhas, sendo detonados a seguir; Outro míssil tinha um poder de aniquilar pessoas num raio de três a dez quilômetros, como isso não pode ser arma de destruição em massa?

Infelizmente quem ganha uma guerra está sempre certo, os poderosos “não mentem”.

Ao descobrir o pré-sal brasileiro, “jorra” mais motivo para a ganância e preocupação, onde o governo imperialista tratou logo de investigar a Petrobrás, não sabendo como eles iriam utilizar isso contra o nosso governo.

O que eles iriam alegar para “tomar” o pré-sal? Alegando que temos armas de destruição em massa?

Não certamente um gringo daqueles devem ter vociferado:

- Podemos garantir nosso “leite negro” com aquele país muito mais fácil que invadindo! Naquele lugar tem uma coisa que jorra mais que petróleo: corrupto.

- Assim podemos participar de algum pregão e jogar um punhado de dólar na mão do responsável, internacionalizando essa fonte de petróleo.

E assim caminha o mundo dos poderosos, cuja indignação dos nossos governantes só irão até a página dois, nas outras páginas, veremos grandes cifrões americanizados e terminará tudo bem.



Marcelo de Oliveira Souza

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui