Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
193 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 58296 )
Cartas ( 21211)
Contos (12891)
Cordel (10242)
Crônicas (22116)
Discursos (3152)
Ensaios - (9262)
Erótico (13457)
Frases (45483)
Humor (18988)
Infantil (4215)
Infanto Juvenil (3309)
Letras de Música (5511)
Peça de Teatro (1329)
Poesias (138804)
Redação (3008)
Roteiro de Filme ou Novela (1059)
Teses / Monologos (2418)
Textos Jurídicos (1935)
Textos Religiosos/Sermões (5292)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Ensaios-->SENTIMENTO TEM CHEIRO, COR E MÚSICA -- 30/01/2011 - 04:01 (Dalva da Trindade S. Oliveira (Dalva Trindade)) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
SENTIMENTO TEM CHEIRO, COR E MÚSICA


Quantas vezes estamos tão felizes que perguntamos a quem está próximo se não sente um aroma agradável no ambiente?
Respiramos o ar com mais intensidade, buscando localizar flores próximas; cheiramos até as pessoas a fim de obtermos uma resposta para aquela sensação. Tentamos identificar de onde vem aquele perfume e não conseguimos encontrar a sua origem. É o cheiro do bem-estar, o perfume da alegria.

Lembro-me de algumas imagens que, associadas aos sentimentos, identificam, através de cores, perfumes ou sons, momentos que marcaram a minha vida.

A primeira figura é a luz do sol da manhã que entrava pela porta lateral de uma igreja. Era um Domingo de Páscoa. O colorido e o perfume das flores que enfeitavam o ambiente tornavam aquele dia ainda mais especial. Entretanto, minha atenção foi desviada pela luz matinal que invadia o recinto por aquela porta. Era uma luminosidade diferente, peculiar: era mais clara, mais intensa, mais vívida, mais brilhante e dominou meus sentimentos. Deixei-me levar pela tonalidade única daquela luz... Ali estava a cor da Páscoa, para mim. Aquele brilho maravilhoso dos raios do sol que anunciavam um novo dia, uma renovação com o amanhecer é o meu sentimento de Páscoa até hoje.

A segunda imagem é o branco intenso do glacê de limão cobrindo um bolo, no Dia das Mães, onde foi colocada, como única decoração, uma grande, linda e perfumada “rosa-da-França”.
O amor de mãe tem esse cheiro de raspas de limão verde mesclado com o perfume intenso daquela rosa, aliado à cor branca da pureza do glacê em combinação perfeita com a rosa “Pink” do bolo.
Lembro-me desse momento nas comemorações de dias especiais em família. Esse foi o presente que recebi em recompensa pelo esforço de demonstrar meu carinho adolescente a minha mãe, mesmo sem qualquer prática de cozinha, antes que ela retornasse da Igreja.

A música me transporta para um mundo mágico de sentimentos intensos, na maioria agradáveis.
O som das orquestras, com seus diversos instrumentos em uma perfeita integração e sintonia, faz com que eu me sinta personagem de filmes românticos, deslizando em valsas e boleros pelos salões espaçosos e bem decorados. “Imagine”, de John Lennon, tem doçura e paz de noites de serenatas, de luau, de reunião de amigos a beira-mar, com o som das ondas e um céu claro com muitas estrelas. “Detalhes”, de Roberto Carlos, é a representação da imortalidade de todos os sentimentos gratificantes que não desejamos descartar. A música “Ave Maria”, especialmente a composta por Bach-Gounot, ou a por Schubert, é a imagem perfeita do silêncio e da meditação no final da tarde, do colorido especial do pôr-do-sol, de um sentimento de união de corações em agradecimento.

Na contramão das boas percepções, são inúmeras as vezes que rememoramos algum fato e ele nos traz lembranças tristes e cinzentas. Dá-nos a impressão de que há um odor no ar de água envelhecida em jarro de flores; um cheiro enjoativo e desagradável. O colorido do céu, das plantas e da luz do sol adquire matizes desbotados, indefinidos. Em nossa mente os tons se apresentam numa escala sem luminosidade, de cinzento, verde-musgo, violeta, marrom ou sombreado. A sensação é de cheiro de fumaça no ar impedindo de respirarmos profundamente; tudo combina com a angústia que as músicas de um filme de suspense despertam.

Somos, por felicidade, esta reunião de sentimentos que se transformam numa linda aquarela de onde emanam as cores, a música e os aromas da nossa alma.

Dalva da Trindade S. Oliveira
(Dalva Trindade)
30.01.2011 – 02h15m
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 3Exibido 269 vezesFale com o autor