Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
27 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59040 )

Cartas ( 21234)

Contos (13081)

Cordel (10287)

Crônicas (22188)

Discursos (3163)

Ensaios - (9402)

Erótico (13483)

Frases (46385)

Humor (19249)

Infantil (4423)

Infanto Juvenil (3673)

Letras de Música (5476)

Peça de Teatro (1335)

Poesias (138140)

Redação (3049)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2425)

Textos Jurídicos (1944)

Textos Religiosos/Sermões (5495)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Artigos-->ACREDITANDO EM PAPAI NOEL! -- 18/04/2013 - 09:24 (Andarilho) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
.

 

ACREDITANDO EM PAPAI NOEL

 

Tentar mitigar a violência dos jovens com a redução da maioridade penal para os 16 anos, é a mesma coisa que acreditar em Papai Noel.

Logo após a sanção da nova lei, os “arquitetos do crime” (marmanjos nada adolescentes) passarão a recrutar e a treinar “soldados” da faixa etária dos 12-15 anos.

Dizem que a Justiça é cega. Podemos acrescentar que o Parlamento também.

Que tal experimentar prisão perpétua para aliciadores de adolescentes?

Que tal combater a reprodução irresponsável dos casais que “jogam” crianças no mundo e se julgam isentos de qualquer obrigação em relação a eles?

Que tal responsabilizar os casais briguentos pelo descontrole emocional dos filhos e pela opção pelas drogas, na busca desesperada por um “remédio” capaz de curar a sua frustração?

Que tal repensar o modelo atual de “estocar” jovens infratores em “Casas de Recuperação”?

Podemos concluir que, aos parlamentares e governantes falta a imprescindível sensatez para construir modelos alternativos dotados de eficácia para converter jovens infratores em respeitáveis cidadãos.

ENSINO FUNDAMENTAL SEGUIDO DE CURSO TÉCNICO, EM REGIME DE INTERNATO, ATÉ ATINGIR A FORMAÇÃO TÉCNICA, TALVEZ SE APRESENTE COMO UMA SIMPLES E EFICIENTE SOLUÇÃO, MAS LOGO OS POLÍTICOS FALARÃO EM FALTA DE VERBAS PARA ESSE TIPO DE PROJETO SOCIAL.

O INTERNATO PODERIA DISPONIBILIZAR TAMBÉM ESPORTE, MÚSICA E TEATRO, DE FORMA QUE A CABEÇA DO JOVEM INFRATOR FOSSE OCUPADA COM UMA SÉRIE DE CONHECIMENTOS ÚTEIS À SUA INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA, AO TEMPO EM QUE SE ESTARIA ALIENANDO DO CRIME.

CONCLUSÃO:

A REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL, POR SI SÓ, NÃO PASSA DE PATÉTICA INGENUIDADE, SE NÃO FOR COISA MAIS GRAVE.

 

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 1Exibido 203 vezesFale com o autor