Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
58 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57091 )
Cartas ( 21170)
Contos (12604)
Cordel (10090)
Crônicas (22209)
Discursos (3136)
Ensaios - (9013)
Erótico (13401)
Frases (43733)
Humor (18475)
Infantil (3786)
Infanto Juvenil (2710)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138298)
Redação (2926)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4885)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Ensaios-->Soltem os criminosos! Prendam a polícia! -- 11/11/2008 - 18:10 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Soltem os criminosos; prendam a polícia

Produzido pelo TERNUMA Regional Brasília

Por Paulo Carvalho Espíndola, Cel Reformado

Surrealismo: moderna escola de literatura e arte iniciada em 1924 por André Breton (1896-1966), escritor francês, caracterizada pelo desprezo das construções refletidas ou dos encadeamentos lógicos e pela ativação sistemática do inconsciente e do irracional, do sonho e dos estados mórbidos, valendo-se freqüentemente da psicanálise. Visava, em última instância, à renovação total dos valores artísticos, morais, políticos e filosóficos ( Dicionário Aurélio).

Ao ler a definição do verbete “surrealismo”, senti-me como um bovino diante do complexo painel de controle da NASA no instante do lançamento de um ônibus espacial. Mais grave ainda, passei a admitir que o Brasil seja conduzido por gênios, pois sabem eles o verdadeiro sentido do surrealismo, ainda que escorados no injustamente mal-falado apedeutismo do mestre Lulla. Este é verdadeiramente um mestre. Um grande prestidigitador, capaz de vender mato pegando fogo. Há seis anos sustenta-se com índices cicóplicos de popularidade, mesmo em meio a escândalos capazes de ruborizar canalhas como os piores Palhares das crônicas do saudoso Nelson Rodrigues.

Se não é assim, vejamos, como acontece neste país do surrealismo:

- As páginas de hoje dos jornais estampam fotografias de um comprovado corrupto mensaleiro, o deputado João Paulo Cunha, reeleito por eleitores bovinos, agora relator da Medida Provisória nº 443/08, que trata de “desimportante” matéria relacionada à compra de instituições financeiras falimentares por bancos oficiais. É igual nomear cão faminto como vigia de açougue;

- Há dois dias, a “insuspeita” Polícia Federal investiu, cumprindo um mandado de busca e apreensão, contra a casa de um delegado rebelde. O delegado Protógenes, alvo da diligência, ousou prender corruptos da laia de Daniel Dantas, Celso Pitta, Naji Nahas e outros. Por que será esse rigorismo todo contra um policial que ousou desafiar potentados da corrupção? Será surrealista, enlouquecendo as idéias, imaginar que os detentores do poder temam que os poderosos Dantas vomitem o que sabem? Pobre vítima do surrealismo é o “vilão” delegado. Ele sabe! Humildemente, ofereço as velhas garruchas dos integrantes do TERNUMA, para o caso dele resolver falar...

- Os ministróides Tarso Genro e Paulo Vanuchi rebelam-se contra parecer da Advocacia Geral da União, que se opõe à revisão da Lei da Anistia. Neste caso, a lingüiça corre contra o cachorro. Os criminosos que mataram, seqüestraram, roubaram e traíram o Brasil, não satisfeitos com as benesses indenizatórias surrealistas, agora querem que a polícia pague por ter-lhes infligido a derrota. Dane-se a vontade do povo brasileiro. Assim é que eles querem ser surrealistas ideológicos.

Três exemplos. Dos três, talvez o mais preocupante, sem dúvida, é o que envolve o delegado Protógenes.

O que há por trás de tudo isso? Lembro-me que Daniel Dantas, segundo a imprensa, tinha o beneplácito de figuras de proa do petismo, como Luiz Eduardo Greenhalg, Gilberto de Carvalho, Márcio Thomaz Bastos e outros surrealistas, todos eles com algum envolvimento no mal explicado assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel. Será mera coincidência? Antes que me processem na “justiça” deste Brasil varonil, terão eles que prestar contas do que dizem por aí...

É nova era.

A partir de agora, barata vai correr de mulher.

O Maracanã, lotado, vai tremer como reedição das bombas dos terroristas dos tempos da luta armada: dedos indicadores para baixo, a torcida irá determinar que hienas vençam leões.

Não consigo entender tanto surrealismo.

Sou uma besta!


Visite o nosso site: www.ternuma.com.br


Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 491Exibido 462 vezesFale com o autor