Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
88 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57112 )
Cartas ( 21170)
Contos (12595)
Cordel (10092)
Crônicas (22212)
Discursos (3137)
Ensaios - (9017)
Erótico (13404)
Frases (43771)
Humor (18490)
Infantil (3792)
Infanto Juvenil (2720)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138317)
Redação (2926)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4892)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Ensaios-->Carta Mensal: Vai encarar? -- 02/07/2008 - 14:15 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Carta Mensal: Vai encarar?

Thomas Korontai - presidente do Partido Federalista

Postado em 06/2008

'Uma avalanche, por maior que seja, começa sempre com apenas um floco de neve.' Aldo Novak – coach

Muitos já se perguntaram por que ditadores permanecem tanto tempo no poder, considerando a força das pessoas unidas, as quais, poderiam derrubar qualquer governo despótico. O caso de Cuba é o exemplo mais vivo, mas existe uma explicação que vem da própria essência da natureza humana: o interesse individual bem alocado e explorado.

A população vive na miséria, falta gás, falta luz, falta comida, racionada por cadernetas oficiais, falta tudo, as imagens que as televisões brasileiras começam a liberar cada vez mais trazem ao conhecimento público aquilo que já se sabia por parte daqueles que lá estiveram e não gostaram do que viram.

Mas então porque onze milhões de pessoas não reagem? Não seriam muito mais fortes, se resolvessem se unir? Onde estão as lideranças? É simples: uma combinação de propaganda estatal, controle absoluto da mídia, bloqueio de informação externa, muros internos ainda que invisíveis, como em Valparaíso, aonde o povo comum não pode entrar, adicionam-se ao clientelismo inteligentemente espalhado por todo o país.

'AQUELES QUE NÃO APRENDEM COM O PASSADO VIVEM PRESOS A ELE.' Márcio Tesser

Esse clientelismo formado por Castro, criou uma rede de espiões nos chamados 'comitês de quarteirões' com gente da própria população, que, a troco de alguns favores do governo entregam imediatamente – deduram mesmo! – pessoas que começam a falar diferente da linha de discursos característicos da 'revolución'. Até parentes são denunciados. Isso não é só em Cuba, ocorreu em vários países da antiga Cortina de Ferro, dentre os quais, a Hungria, de onde meus pais conseguiram escapar em 1956.

Explica-se portanto, facilmente, por que processos de contra-revolução ou de transformações de mudança de mentalidade, não prosperam em ambiente assim. Hugo Chavez tentou impor uma lei semelhante dias atrás, mas, por enquanto, desistiu. A Venezuela parece estar acordando a tempo.

Utilizei essa linha de raciocínio para falarmos no nosso Brasil. Já não é a primeira vez que nos declaramos preocupados com a apatia e indiferença das pessoas em relação à politica, principalmente quando se trata de propostas inovadoras e redentoras. A inércia abre caminhos para que se instalem no Poder, pessoas que se utilizarão dele à vontade, sem pudor, como vêm ocorrendo. Nunca se viu tanto escândalo, tanta corrupção, tantas aberrações e nada acontece...

Sabemos que no Brasil, embora inexistam os comitês de quarteirão, existem outras modalidades de cerceamento, como na imprensa em sua absoluta maioria, criando uma enorme banda conivente – por conveniência, por receio ou por dinheiro, já que os governos são os maiores anunciantes – criando-se um pensamento único em torno dos problemas brasileiros e mundiais. As escolas e universidades estão contaminadas, salvo honrosas exceções, nas quais não se fala mais em liberdade, apenas em procedimentos coletivos e responsabilidade social, anulando o individuo. Pergunte a um aluno de Economia ou Administração se ele ouviu, no meio acadêmico, falar em Hayeck, Mises, ambos prêmios Nobel de sua área, ou outros luminares da Escola Austríaca. Falarão que conhecem apenas K. Marx, Celso Furtado, Roberto Bobbio dentre outros de escolas distintas da chamada 'economia liberal'. Nada contra o conhecimento destas correntes de pensamento estatista, desde que exista o estudo sério e descomprometido das diversas correntes de pensamento econômico.

Poderíamos ficar horas escrevendo sobre tanto que ocorre, tanto que se formou indevidamente, por falta de informação, nas empresas, nas escolas, nas famílias, nos governos. O efeito deletério da rede de clientelismo , construída ao longo de dezenas de anos criou uma teia que destrói qualquer um que tentar fazer algo sério, diferente, inovador, econômico e honesto. Você sabe disso, garanto que sabe de muitas histórias da sua prefeitura, da sua câmara de vereadores, da sua assembléia, dos demais poderes constituídos. Muitas empresas que se unem ao governo para se manterem nos negócios, já que o Estado controla a economia, fazem parte desse jogo, embora extorquidas pela carga tributária, trabalhista e burocrática. Outras silenciam, com receio de retaliações, já verificadas com operações bem nominadas da Policia Federal, ou repentina visita de fiscais.

Mas, diferentemente de Cuba e outros países acometidos pelo estatismo totalitário, e apesar de todas as dificuldades que citamos e mais outras subliminarmente subentendidas, nós, brasileiros, ainda temos uma razoável liberdade, e podemos, se quisermos de verdade, promovermos transformações substanciais para o Brasil que todos desejamos.

Então, surge uma pergunta: o que nós queremos? Como brasileiros preocupados e pró-ativos, um grupo de pessoas, entre os quais me incluo, não conseguem ficar omissas a esse quadro deletério, identificamos o federalismo pleno das autonomias estaduais e municipais como o melhor modelo para um país com as dimensões continentais como o nosso Brasil. A descentralização com a transferência do poder para os municípios e os estados, deixando o Governo Central com poucas e exclusivas atribuições. Isto proporcionará a redução dos tributos, da corrupção, da burocracia, da lentidão estatal, dos desmandos e desvios, reduzirá pela metade os preços dos produtos brasileiros, ampliará a geração de empregos, ampliará o salário médio, colocando o Brasil nos patamares de grande potencia. Não é isso que todo mundo quer? A pobreza, a criminalidade, a corrupção, a baixa educação, o caos da saúde, tudo isso só se resolve com dinheiro e este deve ser produzido pela própria Sociedade, governos não fazem isso, pelo contrário, empobrecem a Sociedade. Especialmente o Governo Brasileiro que consome 40% do PIB e concentra 75% de tudo isso no Governo Central.

'Os desvios das boas regras são tanto mais perigosos, quanto maior a altura donde procedem, e com tanto mais franqueza devem ser rebatidos, quanto mais elevada a autoridade que os apadrinhe.' Rui Barbosa

Temos certeza de que não será um 'salvador da pátria' que fará isso e a permanência desse modelo, com a omissão da maioria dos brasileiros, só piorará as coisas, até que o governo se julgue no direito de alterar conceitos de liberdade em nome da proteção de todos e eliminação da bandalheira que eles mesmos estão criando. Por que ninguém do governo acaba com o MST, Via Campesina, resolve o problema em Rondônia, e a guerrilha urbana que se instalou no Rio de Janeiro e de forma silenciosa em grande parte das cidades de médio e grande porte do País? Pense...

Queremos sim, que você pense nisso. E se achar que temos alguma razão, e considerar que o federalismo, que a descentralização dos poderes hoje encastelados em Brasília, é uma boa idéia, pois não compete com nenhuma corrente de pensamento ideológico, exceto as que querem mais e mais poder, queremos lhe fazer um convite à objetividade: apóie o registro do Partido Federalista. Não é filiação, mas se quiser, você pode também filiar-se já. Reproduza a ficha de apoio e colha mais assinaturas! Não estamos concorrendo nas eleições deste ano, mas estaremos firmes e determinados em 2010.

E para os que querem fazer politica, habilite-se e comece a formar uma comissão provisória em sua cidade. Siga todos os links propostos, e faça a sua parte, é claro, se você concorda com o ideário deste Partido Federalista.

'PIOR QUE FAZER ERRADO É NADA FAZER COM MEDO DE FAZER ERRADO' !

Os bolivianos já descobriram que a melhor forma de combater o centralismo é conseguir a autonomia para seus departamentos. E estão determinados a mudar, embora a imprensa brasileira pouco tenha divulgado. Os bolivianos sabem aonde termina a omissão e encararam o problema de frente.

'Não basta a simples motivação para pescar. É preciso também a rede.' (Provérbio Chinês)

Mais cedo ou mais tarde o povo brasileiro terá que fazer sua opção, ou continuar lamentando, esperando um 'messias', ou assume seu papel na história, fazendo a historia acontecer. Aliás diz-se, que a história se repete duas vêzes, a primeira como farsa e a segunda como tragédia, a farsa é a pseudo democracia brasileira que está aí, a tragédia é o que virá depois, se não tomarmos as rédias do processo histórico, e mudarmos o quadro que hoje esgarça, dilacera e corrompe o tecido social brasileiro.

'TUDO É OUSADO PARA QUEM NADA SE ATREVE.' Fernando Pessoa

E então? Vamos encarar essa juntos?


Saudações Federalistas

Thomas Korontai



© 2004 - Copyright Partido Federalista – Permitida reprodução de qualquer texto, desde que citada a fonte.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 491Exibido 509 vezesFale com o autor