Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
40 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59142 )

Cartas ( 21236)

Contos (13107)

Cordel (10292)

Crônicas (22196)

Discursos (3164)

Ensaios - (9441)

Erótico (13481)

Frases (46535)

Humor (19286)

Infantil (4462)

Infanto Juvenil (3733)

Letras de Música (5479)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138253)

Redação (3054)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5528)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Ensaios-->FIODOR DOSTOIESVSKI (Biografia) -- 03/01/2008 - 14:23 (Ulisses de Abreu) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. FIODOR DOSTOIESVSKI (Biografia)



Fiódor Mikhailovich Dostoiévski: (Moscovo, 11 de Novembro de 1821 — São Petersburgo, 9 de Fevereiro de 1881) foi uma das maiores personalidades da literatura russa e universal. Estudou contra a vontade numa escola militar de Engenharia e entregou-se febrilmente à leitura dos grandes escritores de sua época. Teve também, as suas primeiras experiências dramáticas sob influência de Schiller e Pushkin (Maria Stuart e Boris Godunov). Teve sua primeira crise de epilepsia aos dezessete anos, depois de saber que seu pai fora assassinado pelos próprios colonos, que viam nele um homem demasiadamente autoritário. Deixou o exército aos 22 anos para consagrar-se na carreira literária. Em 1849 é preso por participar de reuniões subversivas na casa de um agitador profissional, Petrachevski, e também condenado à morte. No último momento, já no patíbulo, teve a pena comutada. De fato, passou nove anos na Sibéria, no presídio de Omsk foram 4 anos, e mais cinco como soldado raso. Descreveu a terrível experiência no romance Recordações da casa dos mortos.


Aos 25 anos, em 1846, publica seu primeiro romance, Gente Pobre, onde trata da vida simples dos pobres funcionários da burocracia russa, com extraordinário sucesso em toda a Rússia. Aclamado como gênio pelos mais exigentes críticos da época, entre eles Bielínski, que o considera o primeiro romancista social da Rússia, e Nekrassov que vê em Dostoiévski um novo Gogol, em homenagem ao primeiro romancista russo moderno.

Crime e Castigo





Se você não leu, certamente já ouviu falar. Crime e Castigo, foi publicado pela primeira vez em 1866 e foi o primeiro romance do autor traduzido para línguas da Europa Ocidental. O livro relata a angústia e o sofrimento vividos por Ródion Románovitch Raskólnikov, um jovem estudante de direito que se vê marginalizado pela falta de dinheiro. Após ter cometido o assassinato de duas mulheres: Alena Ivánovna, uma velha usurária, a quem Raskólnikov empenhava alguns objetos para obter dinheiro para sua sobrevivência e Isabel Ivánovna, irmã da usurária, também assassinada, por estar no lugar e hora erradas. A história, que se faz interessante já pela originalidade seu enredo central, é uma das obras mais importantes da literatura mundial por ser um verdadeiro ensaio psicológico das personagens, uma qualidade ímpar dos escritores russos. A trama, à primeira vista, é um romance policial: descobrir um assassino. Assassino esse que está revelado ao leitor desde o início. Seria um romance policial comum se a narrativa não se fizesse transcorrer numa teia envolvente de personagens e tramas paralelas capazes de prender o leitor não mais para a resolução do caso, mas para a resolução dos dramas humanos que o autor propõe. Sem dúvida, trata-se de uma história única capaz de produzir sentimentos diversos e intensos para quem a lê. E se você ainda não está convencido sobre a importância deste livro basta dizer que Crime e Castigo é considerado por muitos, e importantes críticos literatos, como o grande romance de todos os tempos. Então, meu amigo, se você ainda não leu, trate de sair da frente deste computador e corra a uma livraria, sebo ou até mesmo para a coleção de livros velhos e empoeirados do vovô e extasie-se pela trilha intrincada de ações e sentimentos que é você: ser humano.

www.ulissesdeabreu.com

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui