Usina de Letras
Usina de Letras
22 usuários online

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 61962 )

Cartas ( 21333)

Contos (13252)

Cordel (10444)

Cronicas (22531)

Discursos (3236)

Ensaios - (10263)

Erótico (13560)

Frases (50375)

Humor (19998)

Infantil (5391)

Infanto Juvenil (4725)

Letras de Música (5465)

Peça de Teatro (1375)

Poesias (140716)

Redação (3290)

Roteiro de Filme ou Novela (1062)

Teses / Monologos (2435)

Textos Jurídicos (1956)

Textos Religiosos/Sermões (6141)

LEGENDAS

( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )

( ! )- Texto com Comentários

 

Nota Legal

Fale Conosco

 



Aguarde carregando ...
Infantil-->To veinho, já não posso remar -- 29/05/2002 - 12:13 (Anezio Vendrame) Siga o Autor Destaque este autor Envie Outros Textos
Vou vender meu barco já não posso ir pro mar
Eu já to veinho ja não posso mais remar.
Vem uma onda de ca,
Vem outra onda de la,
E meu barquinho parece que vai virar...
Não vou jogar a rede pois não posso recolher
O peso dos peixes faz meu corpo doer.
Vem uma onda de ca
Vem outra onda de la
E meu barquinho parece que vai virar..
Toda minha vida foi sair pra pescar,
Toda minha vida foi vivida no mar,
Hoje to veinho , meu barco também
E quando volto pra casa lá não tem ninguém..
Vou vender meu barco já não posso mais remar
Eu já to veinho´e não tem ninguem pra ajudar.
Coisa triste é envelhecer
Coisa triste é não poder remar,
To ficando veio, ja não posso mais remar
Vou vender meu barco, e na areia repousar

Comentarios
O que você achou deste texto?     Nome:     Mail:    
Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui