Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
112 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57096 )
Cartas ( 21170)
Contos (12597)
Cordel (10091)
Crônicas (22210)
Discursos (3136)
Ensaios - (9014)
Erótico (13401)
Frases (43744)
Humor (18481)
Infantil (3788)
Infanto Juvenil (2712)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138305)
Redação (2926)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4888)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Ensaios-->Perguntas que não querem calar -- 26/04/2007 - 11:58 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
PERGUNTAS QUE NÃO QUEREM CALAR

Por Aluisio Madruga de Moura e Souza (*)

Tenho me perguntado sobre quais seriam as reais razões da insistência das esquerdas em continuar buscando desmoralizar as Forças Armadas, em particular, por meio de mentiras as mais diversas possíveis tais como: lutávamos contra a ditadura! Como? Se muito antes da Contra-Revolução de 31 de março de 1964, ou seja, a partir de 1961 militantes adeptos da Luta Armada já realizavam curso de guerrilha no exterior, principalmente em Cuba e China?

Muito também tem sido publicado de maneira tendenciosa pela mídia infiltrada a respeito da tortura ideológica sobre presos que “depois de torturados teriam sido posteriormente assassinados”. Essas reportagens repetem apenas o que é dito pelos próprios subversivos e terroristas muitos deles assassinos, assaltantes de bancos e “justiceiros” dos próprios companheiros de organização subversiva. Eles seguem as normas dos criminosos comuns: nunca confessam. Sempre alegam que confessaram seus crimes sob tortura, sob coação. E este é um direito que lhes cabe. O que não é admissível é que jornalistas que deveriam buscar a verdade, ao entrevistarem o outro lado publiquem de maneira tendenciosa, o que lhe disse o entrevistado. Se quisessem a verdade investigariam mais profundamente a matéria e publicariam, com isenção as versões encontradas, dando ao leitor a oportunidade de fazer seu próprio juízo.

E sempre que nos aproximamos do 31 de março, dia da Contra-Revolução; do dia do Exército Brasileiro, ou seja, 19 de abril; além de 25 de agosto, dia do Soldado e 27 de novembro, quando os comunistas brasileiros durante a Intentona Comunista de 1935, assassinaram seus colegas, alguns dormindo, notícias espalhafatosas e “requentadas” buscando denegrir as Forças Armadas são publicadas.

Este ano inovaram. Além da invasão do MST em terras do Exército, como não poderia deixar se ser, os jornais O Estado de Minas e o Correio Braziliense publicaram, com grande estardalhaço, até agora, nos dias 15, 16, 17, 18 , 19, e 22 de abril, reportagens do Jornalista Lucas Figueiredo cuja chamada na primeira página foi “Livro secreto do Exército mostra engrenagem da repressão”.

As reportagens tratam do projeto de pesquisa realizado pelo EB há 19 anos atrás denominado inicialmente de ORVIL – livro ao contrário. Nas matérias publicadas a pesquisa que ficou ao final com o nome de “As Tentativas de Tomada do Poder” é rebatizada com o nome de “O Livro Negro do Terrorismo no Brasil”. Pelo que li nos jornais Lucas Figueiredo realmente tem em mãos cópia da pesquisa original. Como a conseguiu? E, o que é mais importante, será que fará bom uso dela?

Artur da Távola costumava dizer que “ todo jornalista que se preza tem na gaveta três listas: uma de pessoas e organizações sobre as quais sempre fala mal. Outra, sobre as quais ele sempre fala bem e uma terceira, sobre as quais jamais fala”. Até agora, para mim, em relação aos assuntos militares e de inteligência, estamos na primeira lista do jornalista Lucas Figueiredo. Espero estar enganado. Vamos aguardar.

Se ele fizer bom uso do Projeto Orvil, publicando os asuntos sem sensacionalismo, sem escolher frases que estão inseridas no contexto, esclarecerá a população muitos fatos desconhecidos que levarão o brasileiro a conhecer a história recente do nosso País. E isso seria de grande valia para nossa Pátria pois não correríamos o risco de repetir um período triste de nossa história.

Mas as perguntas que não querem calar continuam.

Quais as reais razões do total estado de abandono imposto pelo Governo Lula as Forças Armadas brasileiras, com graves ameaças à sua eficácia operacional?

Quais as razões das freqüentes tentativas por parte de militantes e políticos do PT e do próprio Presidente da República como recentemente no caso dos controladores de vôo, em denegrirem a imagem das Forças Armadas e destruírem o que elas tem de mais caro que é a disciplina militar?

Quais as razões do total descalabro em que se encontram a segurança pública, a saúde e a educação?

Como fica a corrupção desenfreada e desavergonhada em todos os escalões dos poderes constituídos, como se tudo natural fosse?

E o que dizer do total beneplácito dos órgãos governamentais em relação as ações do MST, do MLST e outros grupos que recebem verbas do governo para realizarem invasões de propriedades particulares e até de instalações de órgãos governamentais, mesmo sem possuírem CNPJ já que não são organizações legalizadas? Como é feita esta 'maracutaia'?

O certo é que como friso em meio livro Desfazendo Mitos da Luta Armada, os tempos mudaram. Estamos em um novo século. E os comunistas e os ávidos de vantagens em todos os sentidos e a qualquer custo multiplicaram-se e viraram “estrelas”. E assim o PT chegou ao governo depois de uma campanha milionária e mal explicada. É o comunismo disfarçado, o terrorismo institucionalizado, marcado por “saques” dissimulados. Surgem várias perguntas, mas não as respostas.

Por que Celso Daniel foi seqüestrado, assassinado ou “justiçado” ?

Foi em razão de não mais querer participar de esquemas de obtenção de dinheiro público para o PT e ter se rebelado? Foi porque sabia demais? Por que atrapalharia a escalada dos “heróis”, “das vítimas da ditadura”? Por que ocuparia o lugar que José Dirceu acabou por ocupar?

São tantas perguntas que não querem calar. Por que o prefeito de Campinas, o Toninho do PT foi assassinado?

Lula, que não foi guerrilheiro, nem terrorista, apenas um sindicalista que paralizava o país com suas greves e um dos fundadores do PT, foi levado pelo voto à Presidência da República, com os companheiros do partido, José Dirceu militante da guerrilha urbana, José Genoíno da guerrilha rural e vários outros guerrilheiros, subversivos e até ex-terroristas chegaram ao topo do governo.

O povo deu-lhes a chance de governar o País. Deu no que deu. E continua dando. Não fosse o deputado Roberto Jefferson, também com o dedo sujo que apontou as falcatruas de alguns, estaríamos sem nada saber a respeito de propinas, mensalões, dinheiro de bingos e outros.

De escândalo em escândalo foram caindo de um em um os envolvidos nas falcatruas do governo. Respingou sujeira para todos os lados. Caiu José Dirceu e para o seu lugar o Presidente colocou como Ministra da Casa Civil, a senhora Dilma Rousseff.

O Presidente Lula, que diz que governa, é um homem atrapalhado, que profere discursos lamentáveis, óbvios, fala dos pais analfabetos, mas não dos problemas nacionais que precisam urgentemente de soluções. Anuncia programas mirabolantes que não saem do papel; pisoteia a escola e quem faz esforços homéricos para estudar, quando se vangloria de ter chegado à Presidência sem ter curso superior, formação que, ao que parece ao estufar o peito, no seu entender desnecessária e inútil.

Essas atitudes são ameaças concretas, disfarçadas sob os mais variados matizes e acobertadas por uma pretensa oposição política que se vende ao Presidente por qualquer ministério que este lhe oferece, passando então a fazer parte da base governamental.

E foi por insistentemente repetir “isto é uma vergonha” que o Boris Casoi perdeu o emprego. E talvez seja por esta razão que algumas redes de televisão, algumas revistas e muitos jornalistas, de maneira distorcida, escrevem o que o governo deseja que o povo tome conhecimento. Estão destruindo os valores cívicos, éticos e morais da Nação Brasileira, com destaque para a destruição das Forças Armadas. Enquanto o atual Governo e o PT tudo fazem para transformar as Forças Armadas em guarda nacional; cria a Força Nacional de Segurança, futura KGB dos que imaginam criar a nova República Popular Sindical; e novo Exército Popular que terá origem nos quadros do MST.

Os desvios de rumos são muitos. Por conveniência, muitos fingem que não estão vendo nem ouvindo. Estão esquecidos que a desordem institucional, aliada à omissão dos homens e mulheres de bem, é a passarela que conduz os tiranos ao poder.

Pensem nisso e vamos provocar as pessoas que amam o Brasil e a liberdade a saírem da apatia e passarem a exercer sua cidadania. O Brasil merece.


(*) O coronel do Exército Aluisio Madruga é autor dos livros: “Guerrilha do Araguaia - Revanchismo – A Grande Verdade” e “Documentário – Desfazendo Mitos da Luta Armada”.



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 491Exibido 506 vezesFale com o autor