Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
88 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57115 )
Cartas ( 21170)
Contos (12599)
Cordel (10093)
Crônicas (22213)
Discursos (3137)
Ensaios - (9017)
Erótico (13404)
Frases (43773)
Humor (18492)
Infantil (3793)
Infanto Juvenil (2720)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138322)
Redação (2926)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2402)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4894)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Ensaios-->Homem é Fusca, mulher é Porsche... -- 25/01/2007 - 11:39 (Félix Maier) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Criatura perfeita

Zoólogo inglês explica, em cada detalhe, porque a mulher é o ser mais evoluído que existe. Confira a teoria do pesquisador e veja se você concorda.

Dalila Góes e Flávia Duarte
(Da equipe do Correio)

Depois de comparar o ser humano ao macaco e explorar suas formas, na década de 60, o inglês Desmond Morris achou que era hora de cuidar de um animal específico: a mulher. Simples assim, o estudioso mais polêmico da espécie Homo sapiens catalogou o corpo feminino como o mais extraordinário organismo do planeta. Em Mulher nua, livro lançado este mês no Brasil, Morris bate o pé e prova, pedaço por pedaço, que os indivíduos do sexo feminino são superiores aos machos. Do fio de cabelo ao pé, o zoólogo de 77 anos despedaça o corpo da mulher e salpica curiosidades históricas com pesquisa científica para explicar a perfeição das curvas femininas.

No mundo acadêmico, Desmond Morris ganhou respeito com O Macaco nu, de 1967. A importância do trabalho, na visão de outros cientistas e pensadores, foi o estudo do processo evolucionário humano, do pensamento ao desenvolvimento físico. Hoje, separar a mulher do homem e analisá-la zoologicamente causa estranheza. Mas o inglês explica, para horror das feministas e deleite das publicações femininas, porque as moças são assim tão perfeitas e cheias de curvas. Para começo de conversa, Desmond Morris diz que os homens são mais infantis no comportamento. Já a mulher é mais razoável e ainda tem no próprio corpo características de criança, como uma pele macia, por exemplo. Daí a fêmea é anatomicamente mais evoluída.

Mas nem precisa estudar zoologia para concordar com o inglês. O professor Antônio Guilherme Moreira Porto, doutor em anatomia, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), afirma que o organismo da mulher é só o mais desenvolvido como o mais complexo. Em uma analogia bem simples, o anatomista compara o homem a um Fusca e a mulher a um Porsche. “É só dar um empurrãozinho que o homem sai andando. Já com a mulher, tem que saber a hora certa de frear e como fazer as curvas”.

Em cima do palco, a superioridade dá lugar à funcionalidade. Na companhia de dança Débora Colker, mulheres e homens ocupam o mesmo espaço, tanto que da platéia muitas vezes é difícil distinguir o sexo do bailarino. Mas se a plástica do espetáculo exige uma forma mais delineada, opta-se por uma mulher. “Mas isso não implica necessariamente uma pessoa de traços mais suaves ou com menos força física”, explica a coreógrafa.

Na cabeça do doutor José Meciano filho, do Departamento de Anatomia do Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), a lógica de Desmond Morris da mulher perfeita morre a partir do momento em que homens e mulheres são biologicamente perfeitos. “Sim, são máquinas perfeitas. O organismo humano é uma máquina maravilhosamente bem planejada. Cada um, claro, com sua funcionalidade, mas perfeitos. Não existe o melhor”, destaca.

Perfeita ou não, a Mulher nua, de Desmond Morris, chama atenção. Questionado sobre um tal estudo semelhante sobre o corpo do homem, o pesquisador graceja: “Não vejo graça nenhuma em um sujeito barbado. Não quero escrever sobre eles. Eu gosto, adoro, é mulher”. E provoca: “Top models, a maioria dos estilistas é gay, quer vestir a mulher como um homem, sem formas. Homens de verdade gostam de curvas”.

Vestibular da mulher

1. O ser humano possui cerca de 100 mil fios de cabelo. Quem tem menos fios na cabeça?
a) Loiras
b) Morenas
c) Ruivas
d) Tanto faz

2. Dentes escuros foram moda em vários países e épocas. O que as mulheres faziam para escurecê-los?
a) No Vietnã antigo, aplicavam verniz e ficavam se comer sólidos por uma semana
b) No Japão medieval, pintavam com pó de nanquim, saquê e nozes trituradas
c) Na Inglaterra, à época de Elizabeth I, pintavam com um pasta de tabaco
d) No Sudeste Asiático, no século 19, mascavam torrões de açúcar

3. Nos anos 90, a moda dos jeans de cintura baixa destacou os umbigos femininos. A esse respeito, é verdade que:
a) O uso de piercing no umbigo deixa a região mais rasa
b) Entre os mamíferos, só os seres humanos possuem umbigos
c) Umbigos foram apagados das primeiras fotos do século 20
d) A mulher asiática tem o umbigo em forma de fenda

4. Os gregos admiravam qual parte do corpo feminino?
a) A aba do nariz
b) O cantinho da boca
c) O pomo-de-adão
d) As covinhas das costas

5. Qual imagem era usada pelas igrejas da Europa medieval para se proteger do Olho do Diabo?
a) Uma mão feminina espalmada
b) Um dedo feminino tocando o seio direito
c) Genitais femininos abertos por duas mãos
d) Mãos entrelaçadas em um círculo

6. O piano foi concebido para mãos masculinas, por isso os grandes pianistas são homens. A mão da mulher supera a do homem em:
a) Resistência óssea
b) Flexibilidade
c) Tamanho
d) Força muscular

7. É falso que:
a) Homens e mulheres exalam os mesmos odores no suor
b) A mulher possui mais glândulas sudoríparas que o homem
c) Os japoneses não têm odor nas axilas
d) Na Áustria rural, o homem comia a maçã que a parceira colocava na axila

Gabarito

1. C) As ruivas têm cabelos mais espessos, por isso têm menos fios, 90 mil, em média. As loiras têm cerca de 140 mil, enquanto as morenas têm 108 mil.

2. A) Na Inglaterra, à época de Elizabeth I, dentes escuros eram sinônimo de alta classe. No Japão, no século 17, os dentes pretos (ohaguro) eram tingidos com limalha de ferro diluída em saquê ou chá. No Vietnã antigo, elas passavam nos dentes um verniz que as impedia de comer alimentos sólidos.

3. C) No início do século 20, as fotos eram retocadas para dar a ridícula impressão de que o ventre da mulher é completamente liso.

4. D) As covinhas do sacro, duas pequenas depressões situadas de cada lado da base da coluna, bem acima dos glúteos, estão presentes nos dois sexos, mas são mais perceptíveis nas mulheres.

5. C) A imagem de genitais femininos abertos por duas mãos supostamente protegia as igrejas do Olho do Diabo. A idéia era distrair o olho mantendo-o ocupado com uma imagem fortemente sexual.

6. B) As mãos femininas têm mais facilidade de manejar objetos pequenos. Se o teclado do piano fosse menor, a maior flexibilidade dos dedos faria as mulheres pianistas superarem os homens.

7. A) Homens e mulheres produzem odores diferentes, o que indica que as glândulas sudoríparas atuam como sinais sexuais entre parceiros amorosos.

De 0 a 2 acertos:
Sua referência de mulher são As Meninas Superpoderosas. Chega de desenhos animados. Volte para o mundo normal.

De 3 e 4 acertos:
Você se esforçou, mas sua convicção de que homens e mulheres são iguais atrapalha seu raciocínio.

De 5 e 6 acertos:
Não sabemos se você é homem, mulher ou zoólogo. Mas seu interesse pelo sexo feminino é demais.

7 acertos:
Você colou do livro! Só pode ser isso. Ou você acha que alguém normal é capaz de saber tanta coisa?


Vamos por partes

Cabelos:

Face lisa e cabelos compridos usados ao longo da evolução criaram um visual estético bastante atrativo para o homem. Pentear os fios sempre fez parte da alma feminina e do jogo da sedução. Assim sendo, para Morris, cabelos volumosos fazem as feições parecerem delicadas e atraentes, cabelos curtos dão o ar de mulher ativa e independente.

Olhos:

A maquiagem é usada há mais de seis mil anos, em quase todas as civilizações, para destacar os olhos. As pupilas também reagem diante de uma visão atraente. Nessa hora, dilatam. O zoólogo Morris conta que as cortesãs da Itália pingavam gotas de beladona nos olhos quando recebiam seus visitantes. “Isso dilatava muito as pupilas e as tornava mais atraentes, porque dava aos homens que as olhavam a falsa impressão de que eram amados”.

Mãos:

As mãos delas são mais flexíveis e têm mais delicadeza para manusear pequenos objetos. Quando os humanos se puseram de pé, deixaram livres as patas dianteiras para a manipulação. Os homens adquiriram uma força manual duas vezes maior que a das mulheres. Elas, a precisão. O argumento seria de que tal capacidade foi resultado da divisão de tarefas pelos ancestrais. Cabia a elas arrancar as raízes, escolher sementes, colher frutos: tarefas mais adequadas a dedos ágeis e flexíveis.

Nádegas:

Atributo exclusivamente humano, o bumbum da mulher brasileira é paixão em território nacional e até fora daqui. E elas se tornaram maiores à medida que a espécie humana evoluiu. Com a expansão dos músculos glúteos os humanos puderam ficar permanentemente de pé. Na mulher, Morris reforça, as nádegas têm mais que uma função anatômica.

Pés:

Mais uma vez, outra parte do corpo que prova a diferença entre eles e elas. Pés femininos são menores e mais estreitos. Na linha da evolução, o macho ia para a caça e os pés maiores representavam uma vantagem. Como as fêmeas eram poupadas de tal esforço, os delas se desenvolveram menos e permaneceram mais ágeis e delicados. Sendo assim, as mulheres com pés avantajados são vistas como menos belas e não é de se estranhar que algumas cheguem ao cúmulo de esmagar os ossos do pé para diminuir seu tamanho, como acontecia com as chinesas até o século passado.

Nariz:

Quanto menos, mais bonito. Talvez por isso tantas mulheres recorrem aos cirurgiões plásticos para deixá-los mais delicados. Analisando a evolução humana, à medida em que o rosto foi se achatanto, o nariz permaneceu no mesmo lugar.

Lábios:

Os lábios humanos são os únicos na natureza a serem curvados para fora. A explicação para tal forma está mais uma vez na evolução humana. Para sugar o leite no seio da mãe, o bebê recurva o lábio. Quando a mulher se excita, eles se tornam vermelhos, razão pela qual o batom dessa cor ainda é o preferido na hora da sedução.

Seios:

Têm duas funções: produzir o leite materno e despertar o desejo sexual do sexo oposto. De todos os mamíferos, a fêmea humana é a única que não perde o volume dos seios depois da amamentação. Se antes as fêmeas dos primatas andavam sobre quatro patas e excitavam os machos com a exposição do traseiro, quando se tornaram bípedes as nádegas ficaram fora do campo de visão masculino. Assim, os seios se avolumaram.

Cintura:

Por causa do volume dos seios e dos quadris, a cintura feminina é mais fina do que a do homem. Por algum tempo, elas forçaram a natureza e tentaram fazer com que a silhueta parecesse ainda mais delgada. A biologia explica que depois do primeiro parto a cintura nunca mais terá as medidas de antes. Por isso, cintura fina é sinônimo de virgindade.

Genitais:

Ainda sobre quatro patas, a genitália da fêmea ficava totalmente escondida. Já sobre duas pernas, “nossos ancestrais perceberam que não podiam deixar de exibir a parte frontal do corpo sempre que se aproximavam de outro membro da espécie”. Na prática, ficava impossível chegar perto do sexo oposto sem a conotação sexual. Por isso os humanos passaram a cobrir as genitálias e foi aí que surgiu a tanga. Nenhuma outra parte do corpo da mulher é tão sensível ao toque.

Pernas:

Séculos atrás, mostrar as pernas era o mesmo que fazer um convite em tom erótico. Os homens têm especial atração pelas pernas femininas e a explicação de Desmond está na forma como as pernas se juntam. A cada movimento das pernas, o foco da atenção é voltado para o ponto de encontro das mesmas: o órgão sexual da mulher.

(Texto extraído da “Revista do Correio”, do jornal Correio Braziliense, domingo, 7 de agosto de 2005, pg. 25 a 27).


Obs.: A análise do pesquisador inglês não deve ter agradado as feministas, pois, segundo o estudioso, a mulher evoluiu principalmente para atender à satisfação sexual do macho. Porém, uma coisa ninguém pode contestar: a mulher é de fato uma criatura perfeita. Já o homem... (F.M.)





Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Seguidores: 491Exibido 1299 vezesFale com o autor