Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
278 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57940 )
Cartas ( 21204)
Contos (12789)
Cordel (10234)
Crônicas (22050)
Discursos (3145)
Ensaios - (9188)
Erótico (13450)
Frases (45028)
Humor (18876)
Infantil (4089)
Infanto Juvenil (3118)
Letras de Música (5496)
Peça de Teatro (1328)
Poesias (138516)
Redação (2984)
Roteiro de Filme ou Novela (1056)
Teses / Monologos (2416)
Textos Jurídicos (1932)
Textos Religiosos/Sermões (5184)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->Palavras que vêm do coração -- 31/01/2003 - 15:54 (José de Sousa Dantas) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
O poeta faz verso em harmonia

com palavras que vêm do coração

José de Sousa Dantas, em 30/07/99



O poeta nasceu com vocação

prá cantar o que há de poesia,

ele pensa, ele toca, ele cria

com palavras que vêm do coração.;

faz poema, o soneto e a canção,

o martelo, o galope e gemedeira,

gabinete prá ler de cabeceira,

a oitava, a parcela e a sextilha,

uma lira, a toada e redondilha,

o quadrão perguntado e a ligeira.



No manejo da nobre profissão,

o poeta se expressa com talento,

destacando o maior conhecimento

arrancando do povo a atenção.;

segue a rima, a métrica, a oração

na cadência formal da melodia,

aplicando a divina maestria,

retratando o valor da natureza,

o amor, sentimento e a beleza,

todo assunto transforma em poesia.



O poeta revela com presteza

a influência de Deus, o criador,

todas cores do mundo em esplendor

aventuras da vida e a proeza,

a paisagem, o rio, a correnteza,

toda fauna, a flora e o sertão,

o milênio, o espaço, a estação,

as estrelas, o céu, a luz do dia,

todos símbolos da terra em poesia,

passam livres no vau do coração.



Coração é um rio caudaloso,

irrigante do sangue a todo instante,

seu impulso é sinal denunciante

que o homem está sempre vigoroso.;

é o símbolo do peito valioso

eficaz, sensitivo, essencial,

é o centro motor fundamental,

é a sede da generosidade,

é a vida, existência e a bondade,

é a chave mais íntima capital.



Ele guarda o saber e a saudade

seja infância, a velhice ou mocidade,

é uma casa que nunca está vazia,

suportando o prazer ou agonia,

ele acusa o que sente num segundo,

tudo passa no peito tão profundo,

palmilhando com o dono na estrada,

só os dois numa mesma caminhada,

sabem tudo o que passa nesse mundo.



Coração que reside solitário,

trabalhando direto sem ter sono,

acompanha os passos do seu dono,

numa trilha sem fim do calendário.;

ele indica o caminho necessário,

reservando ao poeta a confidência

e o poeta destaca em evidência,

expressando o que vem do coração

faz poesia com alta inspiração,

desvendando o segredo da ciência.



Coração quando ama e compadece

fica aflito na hora da tortura,

desespero que passa com mistura

de prazer, sofrimento com estresse,

mas um sorriso ilumina e fortalece

num mistério que deixa aliviado,

tudo chega de modo inesperado,

sendo forte ele sabe suportar

continua fluente a propulsar

e faz o homem feliz, realizado.



O poeta procura desprender,

respeitando o pulsar do coração,

e por meio de certa direção,

vai cumprindo uma ordem do dever.;

coração dá palpite para ser

aplicado por cada pensamento

porque tem a razão e fundamento

sinaliza o que vai realizar,

mesmo antes começa a suspeitar

com a força maior do sentimento.

Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui