Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
86 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59106 )

Cartas ( 21236)

Contos (13107)

Cordel (10292)

Crônicas (22195)

Discursos (3164)

Ensaios - (9434)

Erótico (13481)

Frases (46493)

Humor (19273)

Infantil (4456)

Infanto Juvenil (3718)

Letras de Música (5478)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138218)

Redação (3051)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5518)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Ensaios-->A Fala (sobre a...) -- 13/02/2004 - 13:18 (Georgina Albuquerque) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
. .



A FALA I (e o auto-retrato...):

'A linguagem contém o Eu em sua pureza' (Hegel)

'A função da linguagem não é apenas comunicativa (...) ao descrever o mundo, o homem retrata-se a si próprio.' (Monique Augras)*

**********************************************

A FALA II (e o grupo nosológico...):

'Gori parte de Jakobson para observar que as diversas funções da linguagem são evidenciadas de acordo com o grupo nosológico ao qual pertence o indivíduo.

O discurso do histérico apresenta enunciados 'saturados' em funções emotiva, conativa* e fática, pois ele se preocupa com a sua imagem e tenta manipular a situação de teste para saber o que o observador pensa a seu respeito.

O neurótico obssessivo (...) manter-se-á em nível de pura descrição, predominando a função referencial do seu discurso.

O psicótico expressará a liberação do seu mundo imaginário, emitindo imagens 'saturadas' em função poética e metalingüística'
(Monique Augras)


* [conativa - que possui o intuito de influir no comportamento do interlocutor, por meio de ordem, pedido ou sugestão.(Houaiss)]


**********************************************

A FALA (III) (Lacan)

'mesmo que nada comunique, o discurso representa a existência da comunicação; mesmo que negue a evidência, afirma que a palavra constitui a verdade; mesmo que se destine a enganar, especula na fé e no testemunho'. (Lacan)


(Lacan, J. 'Fonction et Champ de la parole et du langage en psychanalyse'
Paris, Le Seuil, 1966)

************************************************

A FALA IV (e o disfarce)

(...) a escolha do disfarce é por si reveladora. A máscara aponta, exibe (...) Todos sabem, contudo que o silêncio, a reticência, são tão expressivos quanto as palavras. Mas poucos parecem admitir que a mentira deliberada possa revelar a verdade.' (Monique Augras)*



* 'O Ser da Compreensão:fenomenologia da situação de psicodiagnóstico'/ Monique Augras. - Editora Vozes, 1986.






Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui