Usina de Letras
Usina de Letras
                    
Usina de Letras
81 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 


Artigos ( 57107 )
Cartas ( 21170)
Contos (12598)
Cordel (10092)
Crônicas (22211)
Discursos (3137)
Ensaios - (9015)
Erótico (13403)
Frases (43758)
Humor (18486)
Infantil (3792)
Infanto Juvenil (2717)
Letras de Música (5470)
Peça de Teatro (1317)
Poesias (138313)
Redação (2926)
Roteiro de Filme ou Novela (1055)
Teses / Monologos (2401)
Textos Jurídicos (1925)
Textos Religiosos/Sermões (4891)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Poesias-->ESPERANÇA (ou, a manifestação da marginalidade) -- 10/08/2000 - 12:50 (Mário Tischer) Siga o Autor Destaque este autor Destaque este Texto Envie Outros Textos
Levo no peito o Santo da Fé,

Peito, arre! Arrebentado de pancada

-Contra os santos nada tenho, até -,

E a dor da esperança cansada.





Levo no peito a incerteza

De amar ou odiar a vida, droga!

Vagueio permeio corpo e alma,

Sem saber se me dou ou me dano.





Estão hipócritas estóicos

A assolar a paciência de besteiras

E a deturpar o meu otimismo.;

Otimismo arrogante, é isso.





Levo no peito um grito preso:

É o grito da esperança que acaba,

Se não me acabo primeiro ...

Se é que importa, qual dos dois.
Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Perfil do Autor Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui