Usina de Letras
                                                                         
Usina de Letras
51 usuários online

 

Autor Titulo Nos textos

 

Artigos ( 59156 )

Cartas ( 21237)

Contos (13110)

Cordel (10292)

Crônicas (22201)

Discursos (3164)

Ensaios - (9445)

Erótico (13482)

Frases (46558)

Humor (19288)

Infantil (4464)

Infanto Juvenil (3737)

Letras de Música (5480)

Peça de Teatro (1337)

Poesias (138288)

Redação (3057)

Roteiro de Filme ou Novela (1060)

Teses / Monologos (2427)

Textos Jurídicos (1945)

Textos Religiosos/Sermões (5536)

 

LEGENDAS
( * )- Texto com Registro de Direito Autoral )
( ! )- Texto com Comentários

 

Nossa Proposta
Nota Legal
Fale Conosco

 



Ensaios-->A Estrada do Novo Milênio -- 02/01/2001 - 00:36 (Vânia Moreira Diniz) Siga o Autor Outros Textos
. http://planeta.terra.com.br/arte/vaniadiniz
Quando se falava que em breve começaríamos o Novo Milênio ficava perdida em reflexões sem entretanto me deter muito na profundidade de sua significação.Mas nesses últimos dias e principalmente hoje olho com intensa ansiedade e emoção para os próximos anos vindouros. E descubro que todos nós não importa a idade somos homens e mulheres do século passado.
A vida é um caminho muito difícil, mas desesperadamente fascinante para que a despeito de tantos momentos complicados e por vezes cheios de amargura nos agarremos a ela de forma compulsiva e decidida. E os anos que passam nos dão a certeza que viver é extraordinariamente deslumbrante. Tanto mais deslumbrante quanto mais opções direcionadas de progresso consigamos captar.
Com irrestrita sensibilidade delineio o caminho que vamos seguir e imagino a sinuosidade que nos deixará ofegantes de prazer e alegria ao tentar alcançar esse futuro tão próximo. E pergunto insistentemente nos meus devaneios como serão daqui a trinta anos as crianças que nasceram hoje. E que espécie de frenesi fará com que a emoção de cada descoberta diferente os surpreenda. Ou não se surpreenderão?
Não importa. O que esperamos é que essa estrada cujo horizonte longínquo vejo cheio de luminosidade apareça também no tempo futuro com uma grandiosidade mais confortável de se apreciar. E que a criancinha de hoje venha a ser uma adulto generoso e preocupado com o ser humano próximo apesar de todas as facilidades gigantescas que vão surgir indubitavelmente.
Que essa tecnologia que tanto amamos e maravilhosa por si só não os impeçam do contacto, solidariedade humana e expressão de sentimentos que por vezes mesmo hoje nós às vezes nos descuidamos lamentavelmente. Essa é apenas uma facilidade que a inteligência do homem orientada por uma energia superior é capaz de elaborar para conforto e facilidade própria na busca de melhoria nas condições de uma vida feliz enquanto perdure. E não afastamento das criaturas entre si fazendo com que o sorriso, a sensibilidade, o calor que devem existir entre as pessoas e a doação de sentimentos que são a parte nobre da espécie humana se apague e sejam esquecidas.
Amo veementemente a tecnologia, o computador, a internet, o telefone que facilitou todo esse contacto existente entre as pessoas e digo sempre que não saberia viver sem eles. Não viveria de jeito nenhum. Mas não gostaria de contemplar essa estrada do novo milênio de uma forma indiferente em relação ao contacto especial e generoso que deve existir entre seres semelhantes.
Almejo entrever o progresso sempre e cada vez mais , aspiro realizar em um minuto o que ontem fazia em uma hora e poder executar meus trabalhos com um comando simples e prático. Mas também desejo saber que na estrada do novo milênio continuaremos cada vez mais a admirar o fulgor deslumbrante e apreciar os segredos poéticos da lua sem o que também a vida de muitas pessoas não teria sentido.
O sentido arrebatador de saber que o coração não deverá significar apenas um músculo nas pessoas apaixonadas e amantes e que poderemos sentar ainda sob a fulgor das estrelas e nos sentirmos emocionadas bem como chorar ou rir em retorno a alegrias e tristezas envolventes, absorventes e sedutoras.
Que a estrada do Novo Milênio faça um congraçamento entre a necessária e delirante tecnologia tão venerada por todos nós e o gesto simples e de significação profunda de uma palavra carinhosa e amena.

Vânia Moreira Diniz
Segunda Feira, 01-12-2000



Comentários

O que você achou deste texto?        Nome:     Mail:    

Comente: 
Renove sua assinatura para ver os contadores de acesso - Clique Aqui